Pesquisar
Pesquisar

Acordo de respeito às eleições entre Maduro e oposição é marco histórico para Venezuela

Signatários se comprometeram a "competir em um clima de respeito, paz e participação democrática, garantindo que a vontade do povo não seja desconsiderada"
Diálogos do Sul Global
Caracas

Tradução:

Nicolás Maduro e candidatos da oposição compareceram hoje (20) ao Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela (CNE) para assinar o acordo de “Reconhecimento de Resultados” das eleições de 28 de julho. 

Maduro estava acompanhado por Benjamín Rausseo, Antonio Ecarri, Daniel Cabellos, Luis Eduardo Martínez, José Brito, Claudio Fermín, Javier Bertucci e Enrique Márquez. O único ausente foi o principal candidato da oposição, Edmundo González Urrutia.

O acordo estabelece o “reconhecimento do poder eleitoral como a única autoridade legítima e competente para a organização, administração, gerenciamento e supervisão da eleição presidencial de julho”. Além disso, os signatários se comprometeram a “competir em um clima de respeito, paz e participação democrática, garantindo que a vontade do povo não seja interferida ou desconsiderada por meio de atos de violência durante o processo eleitoral e nos dias seguintes”.

Elvis Amoroso, Presidente do Conselho Nacional Eleitoral (CNE), ressaltou a importância do acordo: “Culminar com o respeito à vontade do povo, para que ele possa se expressar pacificamente e exercer sua vontade absoluta”, afirmou. Esse pacto representa um marco histórico para o país, reforçando a legitimidade e a transparência do processo eleitoral.

O presidente do CNE encerrou seu discurso afirmando que esse “é um acordo histórico para a Venezuela” e que os objetivos “incluem a afirmação da soberania nacional, a estabilidade democrática, a governabilidade e o pleno respeito aos direitos humanos, lançando as bases para um futuro mais próspero e justo para a Venezuela”.

Veja fotos da cerimônia:

.
.
.
.


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.

LEIA tAMBÉM

Disputa por Esequibo e interferência de Argentina, EUA e Grã-Bretanha ameaçam eleições na Venezuela
Disputa por Esequibo e interferência de Argentina, EUA e Grã-Bretanha ameaçam eleições na Venezuela
GSsXOjIXgAA0ChY
Gustavo Petro assina reforma da previdência para melhorar condições dos idosos na Colômbia
000_346Y7KJ
Eleição na Venezuela: chavismo aposta na mobilização social; oposição se anima com pesquisas eleitorais
20140517por-ramiro-furquim-6030
O que explica a baixa participação nas eleições primárias no Uruguai?