Pesquisar
Pesquisar

Acordos BRICs / Celac defendem interesses do Sul

Revista Diálogos do Sul

Tradução:

O presidente de Cuba Raul Castro.
O presidente de Cuba Raul Castro.

O presidente cubano Raul Castro, e o ministro sul-africano de Finanças, Nhalanhia Nene, manifestaram entusiasmo com os avanços alcançados em Fortaleza, Ceará, entre os Brics e a Comunidade de Estados Latino-americana e Caribenha (Celac), integrada por Costa Rica, Cuba, Equador e Antigua e Barbuda.

O presidente Raul Castro declarou que a Declaração de Fortaleza, adotada pela cúpula dos Brics, é de alta transcendência enquanto estabelece o compromisso com uma ordem internacional justo e equitativa, baseada na Carta das Nações Unidas. Destacou que o desenvolvimento económico e social de América Latina e Caribe oferece um extraordinário potencial para impulsionar vínculos mutuamente vantajosos.

Referindo-se ao acordo Celac/China, o presidente cubano esclareceu que a decisão da II cúpula dos países latino-americanos e caribenhos, realizada em La Habana em janeiro, de criar o Foro Celac/China, deu um sentido prático aos esforços encaminhados para que América latina e Caribe e China trabalhem para enfrentar as difíceis condições do mundo de hoje. Considerou que os acordos alcançados em Fortaleza favorecerão o avanço de ambiciosos projetos de cooperação, comércio e investimento, com um forte componente de ciência, tecnologia e inovação.

Participantes da Cúpula BRICs - CeLac. Participantes da Cúpula BRICs – CeLac.

Para Raul Castro, os países de América Latina e Caribe, com importantes reservas minerais, petróleo e um terço das reservas mundiais de água doce, temos o desafio de trabalhar pela industrialização desses recursos naturais e agrícolas, de aumentar i diversificar as exportações, em especial de bens e serviços.

Por sua vez, o analista política sul-africano Abbey Makoe, considera um sucesso histórico o resultado da VI Cúpula dos Brics porque por sua natureza mudará as relações Sul-Sul. Lembrou que desde 2009 esse foro tem mantido firme sua determinação de potencializar a influência da organização no contexto global.

Enfatizou que o início de funcionamento do Banco de Desenvolvimento o colocará em concorrência direta com o Fundo Monetário Internacional e o Banco Mundial, o que, segundo ele, é notícia alentadora para as nações em desenvolvimento.

Nesse sentido, a ministra de Relações Internacionais e Cooperaçao, Maite Nkoana-Mashabane, considerou que os resultados da Cúpula contribuirão a melhorar os níveis de vida não só na África do Sul, mas em todo este continente e na região Sul do Planeta.

Fonte: Prensa Latia e Diálogos do Sul.


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.

LEIA tAMBÉM

Pedro Sánchez Apresenta Plano de Regeneração Democrática no Congresso Espanhol
Pedro Sánchez apresenta ações contra fake news enquanto lei mordaça segue em pauta
Afeganistão: os talibãs avançam rumo ao reconhecimento internacional
Afeganistão: talibãs ampliam cooperação e avançam para ganhar legitimidade internacional
Republicanos atraem voto latino para Trump em meio a ataques a imigrantes
Republicanos prometem 50% do voto latino enquanto líderes atacam imigração ilegal na convenção
China e Rússia iniciam manobras militares conjuntas em resposta à expansão da OTAN
Manobras militares China Rússia são uma resposta à expansão da Otan na Ásia