Pesquisar
Pesquisar
Arquivo Pessoal / Montagem

Colômbia: Irmão do presidente colombiano Gustavo Petro denuncia série de ameaças

Carro blindado de Juan Fernando Petro, irmão do presidente, sofre ataque. Episódio ocorre em meio a uma campanha de intenso escrutínio da mídia contra aliados de Gustavo Petro
Jorge Enrique Botero
La Jornada
Bogotá

Tradução:

Beatriz Cannabrava

Um veículo blindado da presidência da Colômbia, designado a Juan Fernando Petro, irmão do chefe de Estado, Gustavo Petro, foi atingido por um objeto contundente na madrugada da última quarta-feira (3) enquanto transitava por uma movimentada via do centro de Bogotá.

Fontes oficiais informaram que o automóvel presidencial foi atingido na janela traseira esquerda às 6h30, quando se dirigia para o norte da cidade para buscar o irmão do presidente. O ataque não deixou vítimas.

Investigações realizadas por peritos em balística concluíram que não se tratou de um atentado com arma de fogo. A hipótese mais considerada é que pedras, bolinhas de gude ou outros objetos contundentes tenham atingido o veículo.

Juan Fernando Petro denuncia ameaças constantes

Em declarações à imprensa local, Juan Fernando Petro disse que tem recebido diversos tipos de ataques nos últimos meses. “Uma série de situações se somaram e já existe um longo expediente na procuradoria sobre ameaças contra mim”, denunciou o irmão do presidente.

Leia também | O que se sabe sobre atentado contra pai de Francia Márquez, vice-presidenta da Colômbia

Sobre o evento, ele disse que “a investigação determinará se o que aconteceu com a caminhonete foi um impacto de arma contundente ou de fogo” e acrescentou que pela manhã contou ao presidente, por telefone, o que aconteceu. “Ele já está ciente do ocorrido e aguardando os resultados da investigação”, disse ao diário El Tiempo.

Campanha de Desprestígio Contra o Governo de Petro

Este episódio ocorre num momento em que o entorno do presidente Petro está “sob fogo”, alvo de uma agressiva campanha de desprestígio, com ataques pessoais a Verónica Alcocer, esposa do mandatário, e a Laura Sarabia, considerada “o poder por trás do trono”, que teve que ser hospitalizada no último fim de semana devido às implacáveis pressões que vem enfrentando, provenientes de redes sociais e, às vezes, amplificadas por influentes meios de comunicação.

Analistas locais lembraram que Juan Fernando Petro tem sido uma “pedra no sapato” para o governo desde a chegada de seu irmão à Casa de Nariño, ao se envolver em reuniões suspeitas com mafiosos em diversas prisões do país com o propósito – segundo explicou – de aproximá-los de um acordo de submissão à Justiça no âmbito da estratégia de paz total impulsionada pelo presidente.

Leia também | Colômbia: Petro dispensa acordos com oligarquia em reforma de ministérios

Gustavo Petro sobre Juan Fernando Petro

Em agosto de 2023, investigações jornalísticas revelaram que Juan Fernando Petro ofereceu benefícios penitenciários a alguns narcotraficantes em troca de dinheiro e obteve vantagens significativas ao prometer a um mafioso que poderia evitar sua extradição para os Estados Unidos.

O presidente não tem sido condescendente com as atividades de seu irmão mais novo e pediu à procuradoria que o investigue. “Meu compromisso com a Colômbia e os colombianos é alcançar a paz e quem quiser interferir nesse propósito ou tirar proveito pessoal não tem lugar no governo, mesmo que sejam membros da minha família”, escreveu o chefe de Estado no X (ex-Twitter) após as denúncias jornalísticas.


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.

Jorge Enrique Botero Jornalista, escritor, documentarista e correspondente do La Jornada na Colômbia, trabalha há 40 anos em mídia escrita, rádio e televisão. Também foi repórter da Prensa Latina e fundador do Canal Telesur, em 2005. Publicou cinco livros: “Espérame en el cielo, capitán”, “Últimas Noticias de la Guerra”, “Hostage Nation”, “La vida no es fácil, papi” y “Simón Trinidad, el hombre de hierro”. Obteve, entre outros, os prêmios Rei da Espanha (1997); Nuevo Periodismo-Cemex (2003) e Melhor Livro Colombiano, concedido pela fundação Libros y Letras (2005).

LEIA tAMBÉM

Niegan-libertad-condicional-a-Salvatore-Mancuso
Pânico: Elites colombianas temem que Salvatore Mancuso exponha segredos como massacres, deslocamentos e assassinatos seletivos
Petro
Governo da Colômbia lança plano de choque para implementar acordos de paz de 2016
Gustavo-Petro
Força popular contra golpismo: mais da metade da Colômbia apoia reformas de Petro
Petro-Colômbia
"Saída do neoliberalismo": Petro celebra aprovação da reforma da previdência na Colômbia