Pesquisar
Pesquisar

Dilma na Celac: “Somente com Cuba nossa integração será completa”

Revista Diálogos do Sul

Tradução:

Vanessa Martina Silva*

Raúl Castro e Dilma Rousseff inauguraram primeira fase do Porto de Contêineres de Mariel| Foto: Ismael Francisco/ Cubadebate
Raúl Castro e Dilma Rousseff inauguraram primeira fase do Porto de Contêineres de Mariel| Foto: Ismael Francisco/ Cubadebate

A presidenta Dilma Rousseff e o mandatário cubano, Raúl Castro, no dia 27 de janeiro, inauguraram a primeira fase da Zona de Desenvolvimento Especial de Mariel, a principal aposta cubana para gerar desenvolvimento e emprego. “Este terminal e a poderosa infraestrutura que o acompanha é mostra do otimismo e confiança que nós cubanos temos do futuro da pátria”, afirmou Raúl. Os mandatários participam da 2ª Cúpula da Celac, entre os dias 27 e 28 em Havana.

“Em nome de todos os cubanos quero manifestar a Dilma o profundo agradecimento pela contribuição à execução de um projeto transcendental à economia nacional. (…) Este projeto contou com um importante financiamento do governo brasileiro em condições vantajosas que se iniciou durante a presidência de Lula [2002-2010] e que resultou em grande ajuda para construir não somente o Terminal de Contêineres, mas outras obras de infraestrutura como estradas, redes, estradas de ferro e o dragado da baía”, afirmou o mandatário. Dilma discursou enfatizando a importância de Cuba para o Brasil e para a integração regional. “O Brasil acredita no potencial econômico e social de Cuba que, mesmo sob bloqueio econômico dos Estados Unidos, consegue manter um importante fluxo de comércio, que será ampliado com a inauguração do Porto de Mariel. O Brasil se orgulha de apoiar Cuba neste que é o primeiro porto de contêineres do Caribe.”

O Terminal de Mariel teve o financiamento de US$ 682 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) | Foto: Ismael Francisco/ Cubadebate O Terminal de Mariel teve o financiamento de US$ 682 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) | Foto: Ismael Francisco/ Cubadebate

A mandatária reforçou também que “o Brasil quer tornar-se parceiro econômico de primeira ordem para Cuba. Acreditamos que estimular essa parceira é aumentar o fluxo bilateral de comércio. São inúmeras as possibilidades de desenvolvimento conjunto, no setor de saúde, e medicamentos, vacinas nos quais a tecnologia de ponta é dominada por Cuba”, e citou o programa de saúde Mais Médicos: “A participação dos médicos cubanos é apoiada pelo povo brasileiro. Prova da solidariedade e cooperação existente entre nossos países”. “A realização da Celac em Havana evidencia a importância de Cuba na integração latino-americana e caribenha. Somente com Cuba nossa integração será completa. Este porto que hoje inauguramos permanecerá como símbolo de nossa amizade”, concluiu a presidenta. *Colaboradora de Diálogos do Sul


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.

LEIA tAMBÉM

fato1
Cidadãos e governo debatem desafios e soluções para a economia cubana em 2024
i4films, Productora audiovisual fundada en el año 2019 y dirigida por Inti Herrera y Reymel Delgado, La Habana,
Cinema independente em Cuba dribla impacto das sanções e leva arte para o mundo
Cuba
EUA tiram Cuba de lista sobre terrorismo: decisão é positiva, mas não anula sanções
19 pontos que comprovam os sucessos de Cuba em direitos humanos nos últimos 5 anos