Pesquisar
Pesquisar

Editorial | A quem servem os escândalos midiáticos e a nova disparada do dólar?

Revista Diálogos do Sul

Tradução:

Quando a mídia faz escândalo em torno de algum tema, fiquemos de olho, porque algo mais está por trás. Há que perguntar sempre: quem se beneficia? E lembrar do velho ensinamento dos mestres do jornalismo: corra atrás do dinheiro que você descobre.

O escândalo da hora é a disparada na valorização do dólar com relação ao real. O governo anunciou que já colocou US$ 20 bilhões para sossegar o mercado e que tem uma reserva de US$ 380 bilhões para segurar a barra.

Publicidade

Trata-se de um efeito manada, que é quando as pessoas vão atrás de um fato sem a menor avaliação crítica, como a boiada que cai no precipício. Em boa parte, isso está acontecendo e, com certeza, é provocado pela mídia.

Quando a mídia faz manchete que o dólar está subindo, provocam uma corrida para comprar a moeda, muita gente, em desespero, que acham que vai continuar subindo. E, claro que vai. É fácil. Aumenta a pressão da demanda, aumenta o preço do produto. No caso, o dólar puxa o dólar.

Agora imagine um cara que comprou mil dólares por pouco mais de dois reais a unidade e agora vende a quatro reais. Ele dobrou seus reais e guarda. Quando a situação volta ao normal, compra dois mil dólares. Se a conta for em milhão, fica duas vezes milionário.

Esse é um jogo de apostas que se pratica todos os dias nas bolsas de valores. Quem na semana passada comprou ações da Petrobras 30% mais barata, dentro de alguns meses poderá lucrar 60%. Isso em milhões…. Contam que George Soros ganhou 50 milhões de dólares de um dia para outro numa jogada desse tipo.

E há mais gente ganhado. O país está à venda, em reais. O investidor estrangeiro compra a preço de liquidação de inverno, pois para cada dólar comprará R$ 4, ou até mais se não conseguirem parar essa sangria.

Os exportadores de commodities devem estar estourando champanhe para comemorar. Estando os preços em dólar dos produtos primários estabilizados, grande lucro certo na conversão para o real.

É isso: corra atrás do dinheiro, você fica sabendo quem ganha e quem perde com as crises. Quem perde é mais fácil… é sempre o sofrido povo brasileiro. Até quando?


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.

LEIA tAMBÉM

Onix Lorenzon representa a extrema direita brasileira
Aliança pela Liberdade: Coalizão conservadora de Eduardo Bolsonaro planeja fortalecer direita na Europa
China-US-and-LATAM-COLLAGE1
Rivalidade EUA-China: o campo de batalha geopolítico em El Salvador reflete o cenário latino-americano
Niegan-libertad-condicional-a-Salvatore-Mancuso
Pânico: Elites colombianas temem que Salvatore Mancuso exponha segredos como massacres, deslocamentos e assassinatos seletivos
Peru
Lei da impunidade: Congresso do Peru aprova lei que beneficia Fujimori e repressores acusados de crimes de lesa humanidade