Divulgação

Revista Diálogos do Sul relança site em espanhol com reformulação gráfica e editorial

Herdeira da revista Cadernos de Terceiro Mundo, a nova versão pretende auxiliar na missão de integração da América Latina e seus povos originários

Redação Diálogos do Sul

Diálogos do Sul Diálogos do Sul

São Paulo (SP) (Brasil)

No ar desde 2011, a revista online Diálogos do Sul, que passou em 2018 por uma reforma gráfica e editorial, reestreia nesta semana seu site em espanhol Diálogos del Sur

A expansão tem como objetivo atingir um público maior, pensando na importância de que os povos latino-americanos e dos demais países do Sul Global se conheçam melhor e tenham mais elementos para definir políticas comuns e integradoras.

A novidade encontra respaldo em nosso manifesto, no qual se define que a revista é “sulientada”. “Assim como ser orientado é ter etimologicamente o Oriente como referência, ser norteado seria estar sob a influência do Norte. Portanto, (...) nos consideramos desnorteados, porque não aceitamos nos submeter a essa influência. Somos, ao contrário, ‘sulientados’, no melhor sentido deste neologismo”.

Divulgação
Assim como a versão em português, o novo site da Diálogos del Sur também é fruto da parceria com o site Opera Mundi

Parceria

Assim como a versão em português, o novo site da Diálogos del Sur também é fruto da parceria com o site Opera Mundi. A ideia das três publicações é serem complementares, como explica o editor das revista, Paulo Cannabrava Filho.

“Enquanto o site Opera Mundi tem uma característica mais informativa, as revistas se propõem a ser plataformas de maior instigação, reflexão. Esse é o objetivo principal”, explica o jornalista.

Ele ressalta ainda que a proposta reflexiva está presente também na campanha de financiamento coletivo da publicação: “Estamos fazendo uma campanha cujo axioma é ‘PENSE’, porque nós queremos que as pessoas reflitam”. 

Os sites não serão meramente espelhados em línguas diferentes. A versão  em espanhol terá matérias que, eventualmente, não estarão traduzidas para o português, e vice-versa. 

Os conteúdos  que são de interesse global, principalmente as matérias de reflexão, serão publicadas nos dois idiomas. “Como os meus artigos, que publicaremos nos dois idiomas, já que são sobre as coisas que a mídia não está dizendo e, portanto, interessa a todos os povos explorados do mundo, para conhecer como age o inimigo”, explica o editor.

Herdeira da Cadernos de Terceiro Mundo — publicada entre 1974 e 2005 —, revista que nasceu na Argentina, em espanhol e em português, e conquistou o público pela Europa, África e América Latina, a Diálogos do Sul tem como objetivo  dar continuidade ao trabalho que era realizado pelo periódico. 

“Era uma revista que virou referência entre as universidades. Qualquer pesquisador que quisesse falar sobre os povos em desenvolvimento, sobre os movimentos de libertação nacional na Ásia, África ou América Latina, tinha como referência a Cadernos do Terceiro Mundo”, diz Cannabrava. 



Comentários