Vimeo Creative Commons

CUT confirma participação do Brasil na "greve mundial contra mudanças climáticas"

"Além do tema ambiental, a defesa dos direitos trabalhistas e a luta contra a reforma da Previdência Social também serão parte da agenda"

O Brasil se somará a greve mundial pelo clima do 20 de setembro que mobilizará milhões de pessoas em todos os continentes para exigir soluções à crise climática que vive o planeta, confirmaram fontes sindicais brasileiras.

Por enquanto, convocaram-se 153 atos em todo mundo para chamar a atenção dos governos sobre os efeitos das mudanças climáticas e exigir o fim da utilização dos combustíveis fósseis.

Na página oficial da Central Única de Trabalhadores (CUT) assinala-se que "além do tema ambiental, a defesa dos direitos trabalhistas e a luta contra a reforma da Previdência Social também serão parte da agenda das ações da greve climática global no Brasil".

Vimeo Creative Commons
Estão sendo organizados atos em vários estados, como Rio de Janeiro, Brasília, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Ceará e Pernambuco

Agenda ambiental

Desmatamento, queima, uso de pesticidas, aquecimento global, privatização, falta de investimento e supervisão ambiental, todas estes assuntos serão levados às ruas do Brasil e outros países na sexta-feira, diz o site.

Destaca que "junto a estas pautas ambientais também terá bandeiras em defesa dos direitos trabalhistas, a aposentadoria e contra o desemprego", segundo a definição da CUT e outras centrais.

De acordo com o portal, estão sendo "organizados atos em vários estados, como Rio de Janeiro, Brasília, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Ceará e Pernambuco".

O objetivo principal, é exigir aos governos que implementem medidas para deter o aquecimento global em defesa da vida e o planeta.

Mas no Brasil, principalmente, "a de denunciar o Governo de Jair Bolsonaro que, como assinalam os movimentos, está destruindo não só o meio ambiente, mas também a democracia, os direitos, o emprego e a segurança social'"

A manifestação global foi convocada para pressionar os participantes da Cúpula pela Mudança Climática que terá ocorrerá no dia 23 de setembro na sede das Nações Unidas em Nova York e que reunirá aos principais líderes mundiais.

*Prensa Latina, especial para Diálogos do Sul — Direitos reservados.

Veja também

Comentários