Trump sugere "baionetas, lagartos e serpentes" para parar imigrantes que chegam aos EUA

Presidente americano chegou a sugerir cavar um tipo de fosso junto ao seu muro fronteiriço e enchê-los de répteis para combater o tráfego migratório

Agora resulta que não só propunha “disparar às pernas” de migrantes que se aproximavam à linha fronteiriça, além de um fosso com répteis perigosos junto ao muro, Donald Trump também desejava mobilizar forças estadunidenses com baionetas para enfrentar os que se atrevessem a cruzar para os Estados Unidos. 

Depois que foi anunciado que em reuniões na Casa Branca em março, Trump soltou uma série de propostas que deixaram assombrados secretários e assessores, entre elas cavar um tipo de fosso junto ao seu muro fronteiriço para enchê-los de lagartos e/ou serpentes (coisa que o presidente desmentiu ontem acusando os meios de, uma vez mais, fabricar notícias), e disparar contra migrantes ou pelo menos contra suas pernas (algo que não desmentiu, embora naquele momento fosse informado que era ilegal), segundo o New York Times; hoje o Washington Post confirmou o anterior mas acrescentou outro detalhe: que o presidente também desejava armar forças estadunidenses com baionetas para frear as pessoas que desejassem cruzar a fronteira desde o México. 

Todas estas propostas expressadas com ira e frustração diante do fluxo migratório ocorriam enquanto Trump contemplava fechar a fronteira com o México, com a ameaça de violência. O então secretário de Defesa, Jim Mattis, se opunha a toda interação direta entre militares e migrantes na fronteira, como também que estivessem armados, reportou o Post.

Defensores de imigrantes e de direitos humanos e comentaristas denunciaram a barbaridade destas propostas; alguns apontaram que grande parte do fluxo recente são famílias com crianças, e seriam contra elas que o presidente desejava investir lagartos, serpentes e baionetas.

Por outro lado, continuam as reportagens, investigações e denúncias das políticas migratórias de Trump, sobretudo com as consequências do chamado programa Permanece no México com o qual conseguiu colocar aproximadamente 50 mil solicitantes de asilo do lado mexicano da fronteira para a espera possivelmente infinita e com quase nenhuma expectativas para solicitantes de asilo que agora padecem de uma crescente lista de violações de seus direitos.[https://www.humanrightsfirst.org/sites/default/files/hrfordersfromabove.pdf].

Enquanto isso, parece que pelo menos um mistério foi solucionado sobre o surgimento da grande ideia do poço e dos lagartos. O comediante e apresentador do Late Show, Stephen Colbert, descobriu que o presidente Barack Obama fez um discurso perguntando, num tom sarcástico, quanto mais os republicanos queriam na segurança das fronteiras, por exemplo, um poço com lagartos? Mas onde Obama conseguiu isso? Colbert revelou que ele é foi o culpado. Durante seu período no programa The Colbert Report, onde ele assumiu o papel de um comentarista ultraconservador, Colbert, ao entrevistar políticos conservadores, propôs que eles criassem "um poço com águas ardentes cheias de lagartos resistentes a chamas" para parar os imigrantes.

*David Brooks, correspondente do La Jornada em Nova York

**Tradução: Beatriz Cannabrava

***La Jornada, especial para Diálogos do Sul — Direitos reservados.

Veja também

Comentários