Pesquisar
Pesquisar
Foto: Prensa Latina

Pierre Stephan: conheça o primeiro ginasta do Haiti a disputar as Olimpíadas em 124 anos

“Acreditem em seus sonhos, se eu pude conseguir tudo isto, você também pode, nada é impossível”, afirma Pierre Stephan para a juventude haitiana
Redação Prensa Latina
Prensa Latina
Porto Príncipe

Tradução:

Ana Corbisier

O atleta Pierre Yevenel Stephan é hoje um agente de mudança na história esportiva do Haiti, ao tornar-se o primeiro ginasta do país caribenho que participará de Jogos Olímpicos em 124 anos.

“Sendo o primeiro ginasta haitiano, com a primeira participação do Haiti nos Jogos Olímpicos nesta disciplina, será uma honra para mim participar e passar para a história de meu esporte e de minha nação”, disse Stephan.

Em encontros estivais, o país mais pobre do hemisfério ocidental só pôde conseguir uma medalha de prata em tiro por equipe em Paris 1924 e uma de bronze em salto longo em Amsterdam 1928, razão pela qual Stephan espera que sua atuação dê uma nova dimensão ao legado do movimento esportivo haitiano.

Nascido no Haiti, o atleta de 24 anos foi adotado em 2003 por pais franceses e cresceu no país gaulês. Desde maio de 2023, veste com orgulho as cores de sua terra natal no cenário internacional.

A ideia de tornar-se o primeiro ginasta haitiano a competir nos Jogos Olímpicos em 124 anos, é emocionante e estressante para Stephan, como disse ao diário Le Nouvelliste.

“É difícil para mim, mas digo a mim mesmo que tudo o que faço, faço pelo Haiti. Tenho que lutar, pois meu objetivo principal é inspirar os atletas haitianos e todas as gerações futuras”, afirmou.

“Quero tornar o Haiti conhecido por meio da ginástica e mostrar ao mundo os aspectos positivos do país; aos jovens, digo: ‘acreditem em seus sonhos, se eu pude conseguir tudo isto, você também pode, nada é impossível’”, assegurou o atleta franco-haitiano aconselhando os jovens desta disciplina.

Prensa Latina, especial para Diálogos do Sul – Direitos reservados.


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.

Redação Prensa Latina

LEIA tAMBÉM

Disputa por Esequibo e interferência de Argentina, EUA e Grã-Bretanha ameaçam eleições na Venezuela
Disputa por Esequibo e interferência de Argentina, EUA e Grã-Bretanha ameaçam eleições na Venezuela
GSsXOjIXgAA0ChY
Gustavo Petro assina reforma da previdência para melhorar condições dos idosos na Colômbia
000_346Y7KJ
Eleição na Venezuela: chavismo aposta na mobilização social; oposição se anima com pesquisas eleitorais
20140517por-ramiro-furquim-6030
O que explica a baixa participação nas eleições primárias no Uruguai?