Pesquisar
Pesquisar

150 anos de Lênin: abertura de uma época, bases para socialismo e fim do czarismo

Seu legado revolucionário transformou o mundo e determinou o aparecimento de uma fronteira histórica entre antes e depois da Revolução de Outubro
Antonio Rondón
Prensa Latina
Moscou

Tradução:

A figura de Vladimir Ilich Lenin significou a abertura de uma época, a passagem da teoria política à prática em um cenário como a Rússia czarista, onde chegou a Grande Revolução Socialista de Outubro.

Especialistas, historiadores e políticos avaliam a figura de Lênin por ocasião do 150º aniversário de seu nascimento. De fato, sua história começou na localidade de Simbirsk, na província de Moscou, em 22 de abril de 1870.

Os pais de Lênin, Ilia Uliánov, filho de um ex-camponês servo, e Anna Smirnova, viram desde pequeno as qualidades fascinantes de seu filho, sobretudo a boa memória e a inteligência.

Entre 1879 e 1887 estudou na escola e o bacharelado (Ginásio), e em sua inclinação pela luta pela justiça pode incidir o castigo a seu irmão mais velho em 1887 devido a ações contra o czarismo.

Uma vez tendo ingressado na Universidade Imperial de Kazán, para estudar na faculdade de Direito, logo relacionou-se com membros do movimento “Vontade Popular”. Era uma época em que a Rússia czarista tentava decolar, com algumas características capitalistas.

Apenas três meses de curso universitário bastaram para a primeira prisão de Lênin que acabou expulso daquela faculdade.

Mas o jovem cultivou o caráter autodidata da aquisição de conhecimentos e Kazán não foi exceção. Enquanto esteve preso, estudou filósofos como Nikolái Chernishevski.

Finalmente, em 1888 permitiram-lhe regressar a Kazán para prestar exames e de passagem entrou em contato com círculos próximos à teoria marxista, enquanto estudava outros pensadores, como Gueorgui Plekhanov, que seria guia para muitas de suas ações e um de seus próximos colaboradores.

Seu legado revolucionário transformou o mundo e determinou o aparecimento de uma fronteira histórica entre antes e depois da Revolução de Outubro

Wikipédia
O líder revolucionário Vladimir Ilich Lenin

Lênin, que viveu um tempo na região de Samara com sua família, prestou os exames na Universidade de São Petersburgo, para onde mudou-se em 1891. Três anos mais tarde, formou-se o credo leninista da revolução mundial do proletariado, à frente das forças democráticas.

Entre 1895, quando foi à Suíça e conheceu pessoalmente Plejanov, e 1898, quando veio à luz o primeiro número do jornal Iskra, Lênin avançou em sua formação como revolucionário e iniciou sua consolidação como novo pensador.

Em 1905, depois de ter sido preso em várias ocasiões nesta etapa e de ter feito parte do Partido Social Democrata Operário, ocorreu a divisão desse grupo em uma maioria (bolchenstvo) e uma minoria (menshestvo), que daria origem aos termos bolcheviques e mencheviques.

Lênin sempre defendeu a existência de um partido para dirigir a revolução e de um órgão de imprensa. Em 1912 foi criado o semanário Zvezda e, finalmente, em maio daquele ano surgiu a publicação Pravda, onde publicou cerca de 270 trabalhos, ensaios e artigos, muitos deles bem conhecidos.

De fato, apareceu em 1916 sua obra Imperialismo, fase superior do capitalismo, um dos trabalhos mais completos do que seria um precursor da linha política seguida pelo pensador, tanto da saída da Rússia da I Guerra Mundial, como da própria Revolução.

Depois do triunfo da Revolução de Outubro em 1917, a tarefa consistiu em aproveitar a mobilização de trabalhadores, soldados e camponeses, unidos por interesses de classe similares, para pôr em prática, ainda que com algumas mudanças, as concepções socialistas.

A vitória revolucionária na Rússia czarista, a que se seguiu a invasão de potências ocidentais com apoio da resistência da chamada guarda branca no interior do país, obrigou a realizar transformações dentro da própria Europa.

Para evitar grandes protestos, nações ocidentais europeias tiveram que introduzir a jornada de trabalho de oito horas, deixando atrás as de 12 e até 14 horas. Com o tempo, foram adotados também os jardins infantis, ajudas sociais para famílias numerosas e outras.

Lênin, depois de um período de expropriações e medidas restritivas, passou à aplicação da chamada Nova Política Econômica e do Plano de Eletrificação do País (Goerlo), que veio a ser a plataforma para a industrialização da União Soviética, criada em 1922.

Em 21 de janeiro de 1924 faleceu o pensador, jurista, filósofo, dirigente e organizador do movimento operário internacional e de seu país.

O legado revolucionário que deixou, transformou o mundo e determinou o aparecimento de uma fronteira histórica entre antes e depois da Revolução de Outubro.

Lênin pôs fim a um sistema sociopolítico pela primeira vez na história e criou as bases para o socialismo, onde o importante é pôr fim à exploração do homem, com uma fórmula de propriedade que busque o bem comum.

De fato, muitos analistas consideram que o inspirador da Revolução de Outubro impediu o desaparecimento do território ocupado pelo império czarista, que muitas outras nações tinham intenção de atomizar, dividindo-o em fragmentos. A criação da URSS impediu isso.

No século XXI, depois da desintegração da União Soviética, dos tempos convulsionados da década de 1990 e da euforia ocidental de celebrar o desaparecimento do campo socialista, logicamente tratou-se de mudar a visão sobre Lênin.

Mas mesmo detratores desta personalidade fascinante, cujos restos descansam em um mausoléu da Praça Vermelha, em Moscou, reconhecem que foi um grande pensador e fator de uma mudança histórica no mundo.

Antonio Rondón, Correspondente chefe de Prensa Latina na Rússia.

Prensa Latina, especial para Diálogos do Sul — Direitos reservados.

Tradução: Ana Corbisier


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Veja também


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Antonio Rondón

LEIA tAMBÉM

vintage-historic-photos-of-the-battle-of-berlin-1945-bw-10
A batalha de Berlim e a rendição nazista: entrevista com um combatente
Paris
Da Porte de la Villette à Bastille: uma jornada pela cultura e modernidade de Paris
Questão-racial-Brasil (1)
Lima Barreto, 13 de maio e a questão racial no Brasil
ASTROJILDOPEREIRA-MGLIMA-2023-OK
O marxismo de Astrojildo Pereira, fundador do Partido Comunista do Brasil (PCB)