Pesquisar
Pesquisar

A batalha do Chile: Antonio Kast, de extrema-direita, e Gabriel Boric, de esquerda, estão no segundo turno

Com 95,58% das urnas apuradas, o candidato Antonio Kast obteve 27,95% dos votos, enquanto Gabriel Boric alcançou 25,71% dos votos válidos
Redação Diálogos do Sul
Diálogos do Sul Global
São Paulo (SP)

Tradução:

Atualizada às 0h de 22/11 

Neste domingo (21/11), os chilenos foram às urnas para escolher um novo presidente, além de senadores, deputados e conselheiros regionais. São mais de 4.400 candidatos para 485 cargos em disputa. 

Com 95,58% das urnas apuradas, o candidato Antonio Kast obteve 27,95% dos votos, enquanto Gabriel Boric alcançou 25,71% dos votos válidos. O terceiro lugar surpreendeu: Franco Parisi, que fez sua campanha desde os Estados Unidos, obteve 12,92%. 

Esta foi a primeira eleição em 16 anos em que nem Sebastián Piñera (centro-direita), nem Michelle Bachelet (centro-esquerda) são candidatos. 

O novo presidente vai conduzir o processo para validar nova Constituição do país, atualmente em redação. Veja a cobertura completa aqui.

Acompanhe a análise a quente dos resultados:

Acompanhe, em tempo real, a cobertura das eleições:

Com 95,58% das urnas apuradas, o candidato Antonio Kast obteve 27,95% dos votos, enquanto Gabriel Boric alcançou 25,71% dos votos válidos

Gonzalo Maturana H
“A esperança vai vencer o medo”, disse Boric, que larga em segundo lugar para a corrida no segundo turno


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.

LEIA tAMBÉM

Onix Lorenzon representa a extrema direita brasileira
Aliança pela Liberdade: Coalizão conservadora de Eduardo Bolsonaro planeja fortalecer direita na Europa
China-US-and-LATAM-COLLAGE1
Rivalidade EUA-China: o campo de batalha geopolítico em El Salvador reflete o cenário latino-americano
Niegan-libertad-condicional-a-Salvatore-Mancuso
Pânico: Elites colombianas temem que Salvatore Mancuso exponha segredos como massacres, deslocamentos e assassinatos seletivos
Peru
Lei da impunidade: Congresso do Peru aprova lei que beneficia Fujimori e repressores acusados de crimes de lesa humanidade