Pesquisar
Pesquisar

Abril vira feriado na Rússia para conter avanço do coronavírus; Salários serão mantidos

No dia de hoje com 30 falecidos e 3.458 casos positivos em 76 regiões do país, Putin voltou a se dirigir à nação por rádio e televisão
Juan Pablo Duch
La Jornada
Moscou

Tradução:

O titular do Kremlin, Vladimir Putin, não quis esperar a conclusão no domingo seguinte dos dias de licença com gozo de salário que decretou para toda a Rússia no dia 28 de março para tentar frear a propagação do novo coronavírus, e anunciou nesta quinta-feira que essa medida extraordinária está estendida até o dia 30 do presente mês, embora poderia – dependendo de como evoluam as coisas – dar-se por terminada antes. 

Disse que a primeira semana de licença permitiu ganhar tempo para preparar-se e enfrentar o previsível incremento de contágios que ainda haverá antes que a pandemia alcance seu máximo e começa a declinar. 

Putin deixou em mãos dos governadores de cada uma das 85 entidades federais a aplicação das medidas preventivas que julguem pertinentes em seus respectivos âmbitos de responsabilidade, levando em conta a necessidade de proteger a saúde da população e de proporcionar os serviços básicos, assim como garantir a estabilidade da economia e das infraestruturas chaves. 

No dia de hoje com 30 falecidos e 3.458 casos positivos em 76 regiões do país, Putin voltou a se dirigir à nação por rádio e televisão, confinado na residência presidencial de Novo-Ogoriovo desde o dia em que se soube que o doutor Denis Protsenko –que foi o anfitrião durante sua visita à clínica com o maior número de pacientes de Covid-19 na capital russa– havia contraído o vírus.

Em Moscou, o prefeito Serguei Sobianin reiterou esta noite que se manterão até 1º de maio todas as medidas adotadas (fechamento de parques, cafés, restaurantes, museus, estádios, teatros, cinemas, etc.), assim como o confinamento obrigatório de todos os habitantes, embora tenha antecipando que não será necessário implantar um sistema de passes especiais para sair, e que agora só se permite ir aos armazéns e farmácias mais próximas, passear com o cachorro a não mais de 100 metros da casa e ir trabalhar em empresas do setor essencial. 

As novas tecnologias – entre outros, os programas de reconhecimento facial e de geolocalização e as 175 mil câmeras de vídeo que há nas ruas de Moscou – serão usadas só para vigiar que observem a quarentena obrigatória aqueles que regressarem do exterior ou tiverem os exames confirmados como positivos e seus familiares.

Desde que a expansão do Covid-19 se tornou a notícia número um no mundo, regressaram à Rússia 85 mil turistas e ainda se espera que o façam cerca de 25 mil mais.


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Juan Pablo Duch Correspondente do La Jornada em Moscou.

LEIA tAMBÉM

Netanyahu
Pouco há para comemorar na decisão da Corte Penal Internacional contra Netanyahu
Nationale Sozialisten,Demonstration,Recht auf Zukunft,Leipzig,17
Conluio da extrema-direita realizado em Madri é só a ponta do iceberg
EUA-fentanil
A DEA, a ofensiva contra o México, o fentanil e os mortos por incúria
Wang-Wenbin-China
China qualifica apoio dos EUA a separatismo em Taiwan como “grave violação” e exige retratação