Pesquisar
Pesquisar

Acusação dos EUA contra Maduro é "alerta claro de agressão direta", diz especialista

"Onde essas drogas são produzidas? Na Colômbia. Onde estão instaladas 11 bases militares dos EUA? Onde está a DEA? Na Colômbia", questionou
Redação Sputnik Brasil
Sputnik Brasil
São Paulo (SP)

Tradução:

O cientista político venezuelano Basem Tajeldine disse à Sputnik Mundo que a acusação de Washington pode ser prelúdio para uma intervenção militar dos EUA no país sul-americano.

“Trata-se de um alerta claro de agressão direta, de intervenção direta, até mesmo de uma intervenção militar dos EUA neste período sensível […] de pandemia de coronavírus”, disse Tajeldine.

O cientista político ainda notou a “luta bem-sucedida” da Venezuela contra a COVID-19, “com o auxílio de China e Cuba”.

Os EUA ofereceram uma recompensa de US$ 15 milhões (cerca de R$ 76 milhões) por informações que levem à prisão do presidente Nicolás Maduro. Dessa forma, Washington estaria efetivamente “provocando um golpe de Estado”.

“Estão procurando um traidor dentro do Exército [venezuelano]. Procura-se gerar com isso um desastre que nestes últimos anos de governo [os EUA] não conseguiram fazer”, disse.

De acordo com o analista, as ações de Washington não são menos que um “crime contra a humanidade, que afetaria ainda mais a população da Venezuela, que já sofre há vários anos com as sanções econômicas, com a agressão criminosa […] que viola o direito internacional”.

"Onde essas drogas são produzidas? Na Colômbia. Onde estão instaladas 11 bases militares dos EUA? Onde está a DEA? Na Colômbia", questionou

Jornal da Cidadania / Montagem
O Departamento de Justiça dos EUA acusou o presidente da Venezuela de narcoterrorismo e ofereceu recompensa para quem ajudar a capturá-lo

Tajeldine ainda classificou a acusação da Casa Branca de narcoterrorismo como “hipócrita”.

Desinfecção de hospital na Venezuela. Sputnik / Magda Guibelli

“Eles acusam a Venezuela de tráfico de drogas, mas todos devem se perguntar: onde essas drogas são produzidas? Na Colômbia. Onde estão instaladas 11 bases militares dos EUA? Onde está a DEA [agência norte-americana de combate ao narcotráfico]? Na Colômbia”, questionou.

O analista disse que, com o apoio da DEA, agência norte-americana de combate ao narcotráfico, os cartéis colombianos estariam usando o espaço aéreo venezuelano para transportar drogas. Por isso, segundo ele, os EUA “acusam a Venezuela de ser um país de trânsito”.

Tajeldine contou que, “com apoio de radares fornecidos pela Rússia e pela China”, a Venezuela foi capaz de combater o narcotráfico nos últimos anos.

“Por que não se ataca o narcotráfico no país onde [as drogas] são produzidas [Colômbia] e [no país] onde são consumidas [EUA]?”, perguntou Tajeldine.

“Por que usam a Venezuela desta forma absurda, criminosa, vulgar e cínica? […] Para agredir um governo legítimo como é o o governo de Nicolás Maduro”, acrescentou.

Nesta sexta-feira (27), o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, refutou as acusações feitas pelos EUA de que estaria envolvido em tráfico de drogas: “Eles apresentaram novas acusações falsas. A Venezuela está na linha da frente no combate ao narcotráfico há 15 anos”, argumentou.

Na quinta-feira (26), os EUA acusaram o presidente venezuelano de narco terrorismo e ofereceram uma recompensa de US$ 15 milhões (cerca de R$ 75 milhões) a quem o entregar às autoridades dos EUA.

Redação Sputnik Brasil


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Veja também


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Sputnik Brasil

LEIA tAMBÉM

Gustavo Petro
Violação dos acordos de paz: entenda por que Petro vai denunciar a própria Colômbia na ONU
Haiti
Haiti: há pelo menos 20 anos comunidade internacional insiste no caminho errado. Qual o papel do Brasil?
Betty Mutesi
“Mulheres foram protagonistas na reconstrução da paz em Ruanda”, afirma ativista Betty Mutesi
Colombia-paz
Possível retomada de sequestros pelo ELN arrisca diálogos de paz na Colômbia