Pesquisar
Pesquisar

Altamiro Borges | Queda de Bolsonaro nas pesquisas eleitorais deve atiçar apetite fascista da burguesia brasileira

O interessante nessa sondagem é que o único subgrupo que confia no neofascista é o dos empresários
Altamiro Borges
Blog do Miro
São Paulo (SP)

Tradução:

O “capetão” que se cuide. O inferno está cada dia mais próximo. As pesquisas do Datafolha divulgadas nos últimos dias só trouxeram péssimas notícias para Jair Bolsonaro. A última publicada no sábado (15) mostrou que, pela primeira vez desde o início do laranjal em janeiro de 2019, a maioria dos entrevistados apoia o impeachment do presidente – 49% a favor e 46% contra.

Esse índice se inverteu rapidamente. Na pesquisa anterior, de março passado, 50% se opuseram ao afastamento e 46% se declararam a favor. A explosão de mortes por Covid-19 em abril, o caos na vacinação e o aumento do desemprego e da fome, entre outras tragédias, mudaram os humores dos brasileiros diante do genocida. Agora, a maioria já quer a sua cabeça.

Só 24% consideram o laranjal ótimo ou bom

O crescente apoio ao impeachment reflete vários índices negativos apontados por outras pesquisas do Datafolha. Umas delas mostra, por exemplo, que a avaliação positiva do laranjal bolsonariano despencou. Só 24% dos entrevistados consideram sua gestão ótima ou boa – queda de seis pontos percentuais em relação há dois meses.

Em outra sondagem, 50% dos brasileiros dizem nunca confiar nas declarações do presidente. Uma fatia de 34% afirma acreditar às vezes e apenas 14% respondem que sempre confiam no mandatário; 1% não sabe. Como registra a Folha, “a taxa de confiança plena é a menor desde o início da série histórica, em agosto de 2019, ao passo que a desconfiança total é a maior do período”.

Há também uma pesquisa que indica que para 58% dos entrevistados, o “idiota” e “vagabundo” que desgoverna o país – para utilizar dois adjetivos recentemente rosnados pelo desqualificado – “não tem capacidade para liderar o Brasil”. A Folha volta a enfatizar: “É o maior percentual da série histórica desde que o instituto começou a fazer a pergunta, em abril de 2020”.

O interessante nessa sondagem é que o único subgrupo que confia no neofascista é o dos empresários

Palácio do Planalto
As pesquisas do Datafolha divulgadas nos últimos dias só trouxeram péssimas notícias para Jair Bolsonaro.

Cloaca burguesa segue “confiando” no fascista

O interessante nessa sondagem é que o único subgrupo que confia no neofascista é o dos empresários. Não é para menos. Afinal, o presidente é um laranja da cloaca burguesa – “passa a boiada” para seus interesses mesquinhos e abjetos. Nesse subgrupo escroto, 62% dos entrevistados disseram confiar na “capacidade de liderança” de Jair Bolsonaro. De fato, como dizia Cazuza, a burguesia fede!

Por último, já na sondagem propriamente eleitoral, 54% dos ouvidos pelo Datafolha afirmaram que não votariam de jeito nenhum na reeleição do “capetão”. Na simulação de segundo turno com Lula, o “capetão” Jair Bolsonaro obteve 32% das intenções de voto, bem longe dos 55% do líder petista. Isso deve matar de loucura o insano genocida e atiçar o apetite fascista da cloaca burguesa!


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na Tv Diálogos do Sul

   

Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Altamiro Borges

LEIA tAMBÉM

Lula
Frei Betto | Para Lula, momento exige maior sintonia entre governo e movimentos sociais
Lula-RS-Brasil (2)
Nas mãos de Lula, caos no RS é sequela do bolsonarismo: desmonte ambiental e fake news
mães - palestina
Dia das Mães: algumas mães só querem a paz de presente, lembra ato pró-Palestina em Brasília
RS - inundações
Chamado à solidariedade internacionalista: inundação no RS demanda mobilização