Pesquisar
Pesquisar

APIB rechaça acusações de Heleno: “O que lesa nossa pátria é a omissão do governo federal"

A Articulação dos Povos Indígenas do Brasil promete medidas cabíveis e diz que as autoridades governamentais deveriam assumir suas responsabilidades
João Baptista Pimentel Neto
Diálogos do Sul Global
Rio Claro (SP)

Tradução:

Nesta sexta (18), o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, Augusto Heleno, publicou e divulgou através de sua conta pessoal no Twitter mensagens acusatórias contra a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB).

Nas mensagens, sem apresentar qualquer prova, Heleno afirma que a APIB  “está por trás do defund Bolsonaro”, que a instituição tem como objetivos “publicar fake news contra o Brasil; imputar crimes ambientais ao Presidente da República; e apoiar campanhas internacionais de boicote a produtos brasileiros” e que comete “crime de lesa-pátria”.

Aparentemente, as publicações são uma desesperada reação às cada vez maiores críticas e pressões nacionais e internacionais a criminosa e omissa política ambiental adotada pelo atual governo brasileiro. E busca apoiar e fortalecer a estratégia utilizada pelo Presidente Jair Bolsonaro, que secundado pelo Vice-presidente Hamilton Mourão e pelo Ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles, buscam transferir culpas e responsabilidades aos opositores, especialmente aos povos indígenas.

Segundo juristas, por não refletirem a realidade e não se sustentarem em nenhuma prova concreta, as mensagens podem ser enquadradas na prática de vários crimes.

A Articulação dos Povos Indígenas do Brasil promete medidas cabíveis e diz que as autoridades governamentais deveriam assumir suas responsabilidades

Foto Montagem Radar Amazônia | Reprodução
A líder indígena Sonia Guajajara, que preside a APIB e Augusto Heleno

A resposta da APIB

“Além de levianas e mentirosas, as acusações do ministro são irresponsáveis, pois colocam em risco a segurança pessoal dos citados”, sustentou a APIB

“Em vez de atacar indivíduos que trabalham pela proteção do meio ambiente e garantia dos direitos dos povos indígenas, as autoridades deveriam agora cumprir seus juramentos constitucionais e apresentar à nação um plano para enfrentar esses incêndios que afligem o país”

Também Sonia Guajajara, que preside a APIB, rechaçou a declaração e afirmou que “estudará medidas cabíveis”:

Confira abaixo a íntegra da nota da APIB

A OMISSÃO LESA A PÁTRIA

“Enquanto o governo federal assiste passivo aos incêndios criminais que tomaram o país, o chefe do Gabinete de Segurança Institucional, General Heleno, publicou em suas redes sociais uma grave acusação. Disse que a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) e uma de suas lideranças, Sonia Guajajara, cometeram crime de lesa-pátria.

A APIB rechaça a declaração. E entende que o maior crime que lesa nossa pátria é a omissão do governo diante da destruição de nossos biomas, das áreas protegidas, das queimadas ilegais, da grilagem, do desmatamento e da invasão de nossas terras e do roubo das nossas riquezas.

Às vésperas da Assembleia Geral das Nações Unidas, o mundo todo está testemunhando esse crime – grande demais para ser ocultado. Em vez de atacar indivíduos que trabalham pela proteção do meio ambiente e garantia dos direitos dos povos indígenas, as autoridades deveriam neste momento cumprir seus juramentos constitucionais e apresentar à nação um plano para enfrentar esses incêndios que afligem o país. E assim proteger, inclusive, a economia e a reputação nacional.

As acusações, além de levianas e mentirosas, são irresponsáveis, pois colocam em risco a segurança pessoal dos citados.

A APIB estudará as medidas cabíveis”..

João Baptista Pimentel Neto, jornalista da equipe da Diálogos do Sul


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Veja também

 


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
João Baptista Pimentel Neto Jornalista e editor da Diálogos Do Sul.

LEIA tAMBÉM

Lula
Frei Betto | Para Lula, momento exige maior sintonia entre governo e movimentos sociais
Lula-RS-Brasil (2)
Nas mãos de Lula, caos no RS é sequela do bolsonarismo: desmonte ambiental e fake news
mães - palestina
Dia das Mães: algumas mães só querem a paz de presente, lembra ato pró-Palestina em Brasília
RS - inundações
Chamado à solidariedade internacionalista: inundação no RS demanda mobilização