Pesquisar
Pesquisar

Após atentado, Luis Arce vai a cerimônia indígena: “Energias de nossos ancestrais nos acompanham”

Presidente eleito da Bolívia saiu ileso de ataque a dinamite contra escritório do MAS em La Paz
Luisa Fragão
Revista Fórum
São Paulo (SP)

Tradução:

O presidente eleito da Bolívia, Luis Arce, foi às redes sociais nesta sexta-feira (6) para compartilhar fotos da cerimônia que participou junto com os amautas, guias de espiritualidade e sabedoria andina, no sítio arqueológico de Tiwanaku. Encontro ocorre após Arce sofrer um atentado enquanto se reunia com dirigentes do Movimiento al Socialismo (MAS) em La Paz.

“Estamos em #Tiwanaku no início da cerimônia de oferenda à Pachamama para que saúde e força nos acompanhem para governar a #Bolivia”, escreveu Arce no Twitter. 

“Com muito empenho e amor pela #Bolivia, junto com o irmão David Choquehuanca, recebemos o bastão de mando dos amautas. As energias da Pachamama e de nossos ancestrais nos acompanham. Obrigado povo boliviano!”, afirmou em outra publicação.

Presidente eleito da Bolívia saiu ileso de ataque a dinamite contra escritório do MAS em La Paz

Reprodução: Facebook
O presidente da Bolívia Luis Arce em cerimônia indígena

Na noite do atentado, nesta quinta-feira (5), o presidente eleito estava reunido com correligionários no escritório em La Paz discutindo sobre as primeiras medidas do governo, que tem sua posse marcada para o próximo domingo (8). Um grupo de manifestantes deixou explosivos no local enquanto acontecia a reunião. 

O atentado não deixou feridos, segundo um porta-voz do partido. Ele afirma, no entanto, que Arce ainda não conta com escolta das forças de segurança. “Estamos muito preocupados com o que está acontecendo… Sentimos que estamos à mercê de nós mesmos, totalmente desprotegidos e ninguém nos dá a garantia necessária para a segurança de nossa autoridade”, disse em entrevista à imprensa local. 


Veja também

   

Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo
jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista
Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os
nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção
jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Luisa Fragão

LEIA tAMBÉM

Milei
"Barbárie" e "desequilíbrio emocional": Petro e Fernández criticam nova selvageria de Milei
José Raúl Mulino
Eleição no Panamá mostra crise sistêmica que atinge democracia "representativa"
Vox-Abascal-Milei
Xenofobia e delírios ultradireitistas: Vox reúne asseclas em Madri
Xi Jinping - Putin
Encontro de Xi e Putin fortalece relação histórica e aliança contra ofensiva “dupla” dos EUA