Pesquisar
Pesquisar

Apostas no futebol ameaçam integridade do jogo e da cultura

Atributos valiosos do esporte têm sofrido o impacto de gente que busca transformar atletas e competições em grandes geradores de capital
Verbena Córdula
Diálogos do Sul Global
Salvador (BA)

Tradução:

Para além de ser uma modalidade esportiva amplamente praticada e apreciada em todo o mundo, o futebol extrapola as fronteiras do campo de jogo. Isto porque trata-se não apenas de uma competição física, mas de um fenômeno que une pessoas de diversas origens, culturas e crenças em torno de uma paixão compartilhada. No entanto, há muito tempo esse esporte tem sido “contaminado” com vários interesses não propriamente esportivos, alguns visíveis, outros nem tanto. Mas, atualmente, essa questão passou dos limites quando, de forma legal, o esporte passou a ser intimamente ligado às apostas

Como esporte, o futebol é um espetáculo de habilidade atlética, estratégia e trabalho em equipe. Além disso, sua dimensão cultural é igualmente significativa. As rivalidades entre times e países alimentam uma rica narrativa que vai além das quatro linhas do campo. As torcidas apaixonadas, os hinos vibrantes e as tradições associadas a esse esporte são elementos intrínsecos à cultura de muitas nações. E, neste sentido, o futebol não apenas reflete parte da identidade de um povo, mas também serve como uma plataforma para a expressão cultural. 

Assista na TV Diálogos do Sul

O futebol desempenha um papel vital na construção de pontes entre diferentes culturas. A Copa do Mundo, por exemplo, é um evento que transcende barreiras linguísticas e culturais, pois reúne nações de todo o mundo em uma celebração global. É claro que aqui não cabe uma narrativa romântica, pois sabemos que os problemas entre nações não se resolvem na celebração de um campeonato mundial de futebol, ou de qualquer outra modalidade esportiva. Vide o que os/as atletas russos têm sofrido depois que seu país invadiu a Ucrânia. No entanto, não podemos negar, devo admitir, que se trata de um momento único que proporciona trocas interessantes do ponto de vista linguístico, musical, gastronômico, entre outros.  

No entanto, todos esses atributos do futebol vêm sendo minados há algum tempo, com a interferência de muito dinheiro, que transformou esse grandioso esporte em uma máquina de dinheiro (e outras coisas também), através da interferência de gente que não está nem um pouco preocupada com a grandiosidade da competição esportiva em si, pelo contrário, gente que transforma atletas e competições em grandes geradores de capital. 


Interferência do dinheiro

A interferência do dinheiro no futebol é um fenômeno marcante e, em muitos casos, controverso. Ao longo das últimas décadas o esporte evoluiu de uma prática local e amadora para um fenômeno global altamente comercializado. Ao mesmo tempo em que o fluxo de dinheiro acarretou benefícios, trouxe consigo também características negativas e, portanto, preocupantes.

Há muitas questões, mas uma das mais visíveis da interferência do dinheiro nesse esporte é a crescente disparidade econômica entre os clubes. Grandes equipes, muitas vezes apoiadas por investidores bilionários ou conglomerados empresariais, têm acesso a recursos financeiros consideráveis, o que reflete na capacidade de contratar jogadores de alto nível, investir em instalações de última geração e competir em várias frentes, seja em ligas nacionais, copas domésticas ou competições internacionais. Por outro lado, aqueles clubes que não dispõem dessas somas astronômicas de recursos financeiros, ficam em patente desvantagem.

Arte, PIB, Futebol: por que 1958 foi o ano em que tudo deu certo no Brasil

Essa disparidade tem levado a um desequilíbrio competitivo, no qual alguns clubes têm uma vantagem significativa sobre os outros, o que gera desafios para a competitividade e a imprevisibilidade do esporte, pois a capacidade financeira muitas vezes se traduz em sucesso esportivo. E isso não deveria acontecer. Além disso, clubes menores muitas vezes enfrentam dificuldades financeiras, lutam para manter a competitividade e até mesmo sobreviver em um ambiente tão orientado pelo dinheiro, o que é indiscutivelmente injusto. E, com isso, o esporte perde.

Atributos valiosos do esporte têm sofrido o impacto de gente que busca transformar atletas e competições em grandes geradores de capital

Esporte.bet
Apostas no futebol e a ameaça à integridade do jogo e da cultura




Consequências desastrosas

Além das questões supracitadas, essas grandes somas de dinheiro criam a possibilidade de que atletas, juízes e outros envolvidos diretamente no esporte possam ser subornados para influenciar nos resultados, através da facilitação de derrotas ou de vitórias para atender aos interesses econômico-financeiros. E agora, com a legalização das apostas, essa situação ficou ainda mais crítica. 

Entre outros prejuízos, podemos citar o fato de que, devido às grandes apostas,  o desempenho dos próprios atletas possa ser influenciado. Jogadores podem ser submetidos a ameaças ou subornos para alterar seu desempenho durante uma partida. Além disso, sabemos que, no afã de embolsar muito dinheiro, organizações criminosas podem empregar apostadores profissionais para influenciar os resultados dos jogos. 

Futebol e diplomacia: Brasil pode ajudar a construir paz na Palestina por meio do esporte

Essa manipulação de resultados deteriora a integridade do esporte e a confiança dos/das torcedores/torcedoras, pois, quando resultados são percebidos como influenciados por interesses financeiros, em detrimento da habilidade esportiva genuína, pode prejudicar a credibilidade desse grande esporte que é o futebol.

É sabido que as apostas, em suas diversas formas, têm sido uma prática humana há séculos, e encontra-se enraizada na sociedade como uma forma de entretenimento. Para alguns, é, inclusive, uma possível fonte de ganhos financeiros. Entretanto, faz-se necessário abordarmos essa prática de modo crítico, já que esse tipo de atividade carrega consigo consequências desastrosas, não somente para o esporte.


Aumento das disparidades econômicas

Em um mundo onde as desigualdades já são tão escancaradas, as apostas podem acentuar ainda mais essas disparidades econômicas, pois favorecem à quem já possui recursos, em detrimento daquelas pessoas mais vulnerabilizadas economicamente, através da falsa ideia de que “é possível ganhar dinheiro facilmente”. Isso pode ter implicações significativas, especialmente para as gerações mais jovens, que podem ser influenciadas a acreditar que o caminho mais rápido para o sucesso está em jogos de azar, em vez de educação e do trabalho.

É importante abrirmos nossos olhos, sobretudo, para um dos principais pontos nevrálgicos relacionados às apostas, qual seja seu potencial para causar dependência. A busca desenfreada por “dinheiro fácil”, geralmente assentada em uma falsa sensação de controle, pode gerar o caos, já que proporciona grande possibilidade de destruir não somente o indivíduo que aposta, mas também (e muitas vezes principalmente) seus seres queridos, como advertem diversas pesquisas acadêmicas.

Lula: Pelé nos obrigava a assistir futebol, a gente gosta de alguém que dá espetáculo

Os problemas ocasionados pelo jogo patológico têm aumentado. Há uma associação preocupante entre essa prática e o aumento do risco de suicídio. Estudo publicado em 2015, pelo periódico científico  The Journal of Clinical Psychiatry, concluiu que as taxas de tentativas de suicídio são significativamente mais altas em jogadores problemáticos em relação à média da população. Em 2016, estudo publicado pelo Journal of Marriage and Family detectou uma associação direta entre problemas de jogo e uma maior probabilidade de divórcio. Outro estudo publicado em 2019, desta vez pelo Journal of Gambling Studies, destacou que crianças cujas famílias têm um membro viciado em apostas são mais propensas a enfrentar problemas emocionais e comportamentais. Portanto, não há dúvidas quanto aos vários danos individuais e sociais que podem ser causados por essa forma de “entretenimento” chamada aposta.

É importante ressaltarmos, ainda, que a publicidade agressiva promotora incessante desses sites de apostas referentes ao futebol são um grande perigo, posto que atraem aquelas pessoas que buscam soluções rápidas para seus problemas financeiros, o que pode resultar em ciclos viciosos de endividamento, de patologias e desespero. Os estádios estão “inundados” com essas publicidades, seja nas margens dos gramados, ou mesmo nas camisas dos atletas. É impossível estar em um estádio, ou mesmo assistindo a uma partida através da televisão (e outras formas de mídia, como o YouTube, por exemplo) e não ser interpelado/interpelada com a publicidade agressiva desse sítios de apostas.

O futebol foi transformado em uma indústria global. Embora esses recursos financeiros que recebem possam ser canalizados para o crescimento e a sustentabilidade do esporte, preocupa a priorização do lucro em detrimento dos valores culturais e da integridade do jogo.

Verbena Córdula | Doutora em História e Comunicação no Mundo Contemporâneo pela Universidad Complutense de Madrid. Professora Titular da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), Ilhéus, Bahia.


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Verbena Córdula Graduada em História, Doutora em História e Comunicação no Mundo Contemporânea pela Universidad Complutense de Madrid e Professora Titular da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), Ilhéus, BA.

LEIA tAMBÉM

vintage-historic-photos-of-the-battle-of-berlin-1945-bw-10
A batalha de Berlim e a rendição nazista: entrevista com um combatente
Paris
Da Porte de la Villette à Bastille: uma jornada pela cultura e modernidade de Paris
Questão-racial-Brasil (1)
Lima Barreto, 13 de maio e a questão racial no Brasil
ASTROJILDOPEREIRA-MGLIMA-2023-OK
O marxismo de Astrojildo Pereira, fundador do Partido Comunista do Brasil (PCB)