Pesquisar
Pesquisar

As mentiras contra Dilma e seu governo

Jorge Maria Rabëlo

Tradução:

alexandre albuquerqueJosé Maria Rabêlo*

A oposição, que até hoje não aceitou a derrota,  mente 24h por  dia. Uma  dessas falácias  é dizer que o Brasil está parado

Possivelmente, nunca se tenha visto em nossa história recente uma campanha de mentiras tão grande como a que presenciamos contra a presidente Dilma Rousseff e seu governo. A oposição, que até hoje não aceitou a derrota, mente 24h por dia, na tentativa de desgastá-los perante a opinião pública. Não apresentam nada de concreto, nenhuma crítica séria; só o palavreado vazio que em nada ajuda o debate político.

Venho analisando algumas dessas falácias, como a mais usada por eles, a de que o nosso Brasil está parado.

É verdade que há uma diminuição da atividade econômica com relação aos governos de Lula e do anterior de Dilma, decorrente em sua maior parte da crise mundial que afeta praticamente todos os países. Mas daí a afirmar que o Brasil parou vai uma imensa distância.

Os números são mais do que significativos. A Petrobrás, apesar da violenta campanha que tem sofrido, amplia sua atividade tanto em terra quanto no mar. No pré-sal, sua produção alcançou oitocentos mil barris/dia, superando os maiores produtores do mundo nesse tipo de exploração. A estatal acaba de conquistar o principal prêmio da indústria mundial de óleo e gás, o OTC Award 2015, relativo a administração e tecnologia na indústria petrolífera.
Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a próxima safra agrícola será 5 % maior que a atual, ultrapassando os 200 milhões de toneladas. A Fiat inaugurou em Goiana, no Pernambuco, uma de suas mais modernas fábricas de veículos.

O saldo das exportações brasileiras em abril chegou a US$ 4,90 bilhões, quando as previsões eram de US$ 3 bilhões.

Prossigamos. O faturamento dos supermercados cresceu 1,8% em 2014, devendo atingir 2% em 2015. A indústria farmacêutica teve elevação de 7,8% em seu faturamento no ano passado, enquanto as farmácias e drogarias acusaram um acréscimo de 12,8%, de acordo com a Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias. No setor de serviços, a indústria de cartões de crédito cresceu 14,8% em 2014, bem acima do registrado em 2013; para este ano, a previsão é de um aumento de 12,5%.

Mesmo no mercado imobiliário em retração no momento, há empresas que estão obtendo resultados muito favoráveis. É o caso da MRV Engenharia, a maior construtora e incorporadora do país, que experimentou um aumento de 14,4% no primeiro trimestre deste ano.

Em acordo com a China e o Peru, será construída uma mega-ferrovia ligando o Atlântico ao Pacífico, que partirá do Porto de Açu, no estado do Rio de Janeiro, cruzando as principais regiões agrícolas brasileiras (MG, GO, MT, RO, AC) e abrindo um novo roteiro para a exportação de grãos e minérios destinados ao Oriente. O primeiro ministro Li Keqiang e um grupo de mais de 150 empresários chineses estão sendo aguardados em Brasília, no dia 19, para concluir as negociações sobre sua participação na obra, que deverá ficar pronta em cinco anos. Tratarão ainda de outros negócios de importância para os dois países, num total de mais de US$ 50 bilhões de investimentos no Brasil.

Os trabalhos de transposição do Rio São Francisco desenvolvem-se intensamente e chegarão a 75% de seu total no fim do ano, devendo os outros 25% serem executados até 2016.

Para terminar: conforme o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais, Olavo Machado Júnior, que vem de chefiar uma missão de empresários aos Estados Unidos, existe no empresariado daquele país um otimismo quanto à retomada do crescimento de nossa economia. “Otimismo maior que o dos próprios brasileiros”, diz o líder industrial.

Poderia enumerar outros dados para mostrar como mentem os oposicionistas sem rumo, perdidos no tempo.

Certamente, não é ainda o que desejamos, mas o país se move, muito mais do que se poderia esperar numa conjuntura de forte crise mundial. O resto é choradeira de maus perdedores, que ainda não se refizeram do desastre sofrido nas urnas.

*É colaborador de Diálogos do Sul – de Belo Horizonte-MG – original do O Trem Itabirano –  Ilustração de Alexandre Albuqurque, cartunista itabirano


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Jorge Maria Rabëlo

LEIA tAMBÉM

Lula-RS-Brasil (2)
Nas mãos de Lula, caos no RS é sequela do bolsonarismo: desmonte ambiental e fake news
mães - palestina
Dia das Mães: algumas mães só querem a paz de presente, lembra ato pró-Palestina em Brasília
RS - inundações
Chamado à solidariedade internacionalista: inundação no RS demanda mobilização
Lula - 1 de maio
Cannabrava | Lula se perdeu nos atos de 1º de maio