Pesquisar
Pesquisar

Assembleia Nacional elege Miguel Díaz-Canel como presidente da República de Cuba

Na sessão parlamentar, que teve lugar no Palácio das Convenções da Capital, Salvador Valdés foi aprovado para o cargo de vice-presidente
Redação Prensa Latina
Prensa Latina
Havana

Tradução:

O deputado Miguel-Díaz-Canel foi eleito hoje como presidente República de Cuba por maioria absoluta em votação livre, direta e secreta, durante a IV Sessão Extraordinária da Assembleia Nacional do Poder Popular (ANPP).

Na sessão parlamentar, que teve lugar no Palácio das Convenções da Capital, Salvador Valdés foi aprovado para o cargo de vice-presidente.

Ambos dirigentes recebem um mandato até o ano 2023, quando termina a atual legislatura do Parlamento cubano.

Entre suas funções, o presidente da República deverá cumprir e velar pelo respeito à Constituição e às leis, bem como representar o Estado e dirigir sua política geral.

Também reger a política exterior, as relações com outros Estados e a relativa à defesa e à segurança nacional.

Além disso, referendar as leis e decretos-leis emitidas pelo Parlamento ou pelo Conselho de Estado.

Na próxima sessão legislativa, Díaz-Canel deverá apresentar à ANPP os membros do Conselho de ministros.

Nascido em 1959, Díaz-Canel é engenheiro e professor. Membro do Bureau Político do Partido Comunista de Cuba, foi primeiro secretário da organização política nas províncias de Villa Clara e Holguín.
Também se desempenhou como ministro de Educação Superior e vice-presidente do Conselho de Ministros

Na histórica sessão desta quinta-feira, quando se comemora o 151º aniversário do início das guerras de independência de Cuba contra o colonialismo espanhol, o Parlamento elegeu também seu presidente, vice-presidente e secretário, que ocuparão a mesma responsabilidade no Conselho de Estado, bem como os demais integrantes desse órgão. 

Na sessão parlamentar, que teve lugar no Palácio das Convenções da Capital, Salvador Valdés foi aprovado para o cargo de vice-presidente

Prensa Latina
Miguel-Díaz-Canel e Raúl Castro

Cuba seguirá em Revolução apesar da agressividade dos Estados Unidos

O presidente do Assembleia Nacional do Poder Popular (ANPP), Esteban Lazo, afirmou hoje que Cuba seguirá avançando e consolidando seu processo político, apesar da agressividade dos Estados Unidos.

Na abertura do quarto período extraordinário da IX Legislatura da ANPP, Lazo assegurou que os cubanos continuarão esforçando-se na sua Revolução baseada na unidade, e que vela com seus princípios pelo benefício de seu povo.

Precisou que a agressividade dos Estados Unidos contra a ilha mostra a outros povos a validade do sistema econômico, político y social da nação caribenha.

*Tradução: Beatriz Cannabrava

**Prensa Latina, especial para Diálogos do Sul — Direitos reservados.

Veja também


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Prensa Latina

LEIA tAMBÉM

Vox-Abascal-Milei
Xenofobia e delírios ultradireitistas: Vox reúne asseclas em Madri
Xi Jinping - Putin
Encontro de Xi e Putin fortalece relação histórica e aliança contra ofensiva “dupla” dos EUA
Alvaro-Uribe
Colômbia: Uribe pode ser condenado a 12 anos de prisão em julgamento por suborno e fraude
Gustavo Petro
Violação dos acordos de paz: entenda por que Petro vai denunciar a própria Colômbia na ONU