Pesquisar
Pesquisar

Ato de "Descomemoração" dos 50 Anos do Golpe

João Baptista Pimentel Neto

Tradução:

Ditadura nunca mais- 1º abril manifest. 15h30min CandeláriaCentrais, movimentos sociais, entidades não governamentais e partidos políticos convocam para o Ato de “Descomemoração” dos 50 anos do Golpe – DITADURA NUNCA MAIS!

Dia 1º de Abril – na Candelária – Rio de Janeiro.

 

Pedimos fazer ampla divulgação, enviando esta convocatória para todos os seus contatos e se possível divulgue nas redes sociais: facebook, twitter e mais o que houver. Precisamos dar grande visibilidade para que este ato seja um grande evento dos movimentos sociais organizados: centrais, movimentos populares e partidos políticos. DITADURA NUNCA MAIS!

 

Vista a camisa e leve a bandeira do seu sindicato para lutarmos juntos “para que não se esqueça e para que nunca mais aconteça”. 

Na próxima terça-feira, dia 1º de abril, o Golpe que instaurou a ditadura em nosso país completa 50 anos. Para lembrar o fato histórico e impedir que algo parecido volte a acontecer, as centrais sindicais, os movimentos sociais e os partidos políticos do campo da esquerda vão realizar um ato de “descomemoração” com centração na Candelária a partir das 15h30.

Todos estão convocados a comparecer com as camisas e bandeiras de seus sindicatos. Cada direção sindical tem a responsabilidade de mobilizar os trabalhadores de sua categoria para participar do ato, lembrando que o Golpe de 1964 e a ditadura que o sucedeu cumpriram também o papel de destruir a organização dos trabalhadores e impedir avanços e conquistas.

Nos 21 anos de ditadura, trabalhadores e lideranças sindicais e de outros movimentos sociais foram demitidos, presos, torturados, exilados e assassinados pelos órgãos repressores. Portanto, é de extrema importância que todas as entidades sindicais se engajem na luta “para que não se esqueça e para que nunca mais aconteça”.


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
João Baptista Pimentel Neto Jornalista e editor da Diálogos Do Sul.

LEIA tAMBÉM

Petro-Colombia
Petro reage a ataques de guerrilheiros contrários ao acordo de paz: "Não toleraremos"
Milei
"Barbárie" e "desequilíbrio emocional": Petro e Fernández criticam nova selvageria de Milei
José Raúl Mulino
Eleição no Panamá simboliza crise sistêmica que atinge democracia "representativa"
Vox-Abascal-Milei
Xenofobia e delírios ultradireitistas: Vox reúne asseclas em Madri