Pesquisar
Pesquisar

Bolívia anuncia investigação a ex-chefe militar acusado de comprar armas irregulares na Argentina sob governo Macri

A apuração também foi assumida pelas autoridades argentinas, que verificam o grau de implicação do governo do ex-presidente
Redação Prensa Latina
Prensa Latina
La Paz

Tradução:

A Promotoria Geral da Bolívia informou que iniciará uma investigação formal ao ex-comandante da Força Aérea, Jorge Terceros, acusado pela aquisição irregular de armas anti distúrbios em 2019. 

Uma investigação recente provou a participação de Terceros na chegada ao país do referido material bélico vindo da Argentina, sem cumprir com os requisitos estabelecidos para a gestão e no contexto do golpe de Estado contra o então presidente Evo Morales.

A decisão de iniciar o processo penal contra o ex-militar foi dada ao público em entrevista coletiva pela diretor de Gestão Fiscal, Supervisão e Avaliação, Roberto Almendras, que explicou que tudo começou com o encontro de uma carta de Terceros ao ex-embaixador da Argentina, Normando Álvarez García

A apuração também foi assumida pelas autoridades argentinas, que verificam o grau de implicação do governo do ex-presidente

Facebook – Reprodução
O ex-comandante da Força Aérea da Bolívia, Jorge Terceros

Agradecimentos

Na carta, datada de 13 de novembro de 2019, o militar agradecia às autoridades do país vizinho pelo envio de munição anti distúrbios e granadas de diferentes tipos. 

A chegada do material aconteceu no contexto do golpe de Estado, e os investigadores não descartam seu uso na repressão a seguidores do derrocado presidente e defensores da democracia e da institucionalidade do país. 

Entre as ações repressivas mais criticadas figuram os massacres de Senkata e Sacaba, onde policiais e militares assassinaram impunemente a uma trintena de bolivianos que protestavam pacificamente contra a assombrada, e feriram dezenas. 

A investigação também foi assumida pelas autoridades argentinas, que verificam o grau de implicação do governo do ex-presidente Mauricio Macri, então no poder. 

Sobre o tema

Massacre: Ação policial-militar em Senkata resulta em ao menos 8 mortos e 30 feridos

O atual mandatário do país vizinho, Alberto Fernández, pediu desculpas pelo fato ao seu par boliviano, Luis Arce, e expressou a vontade de sua administração de ajudar a esclarecer a situação. 

Neste momento, se sabe que a justiça argentina também avançou nas investigações a Macri pelo envio de material bélico à Bolívia, qualificado de contrabando. 

Prensa Latina, especial para Diálogos do Sul — Direitos reservados.

Tradução: Beatriz Cannabrava


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na Tv Diálogos do Sul

   

Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Prensa Latina

LEIA tAMBÉM

Vox-Abascal-Milei
Xenofobia e delírios ultradireitistas: Vox reúne asseclas em Madri
Xi Jinping - Putin
Encontro de Xi e Putin fortalece relação histórica e aliança contra ofensiva “dupla” dos EUA
Alvaro-Uribe
Colômbia: Uribe pode ser condenado a 12 anos de prisão em julgamento por suborno e fraude
Gustavo Petro
Violação dos acordos de paz: entenda por que Petro vai denunciar a própria Colômbia na ONU