Pesquisar
Pesquisar

Bombas, espancamentos e sabotagem nas estradas: bolsonaristas partem pro terrorismo

PFR promete "ação bem forte”, junto “com todas as forças de segurança pública”, para liberar as estradas
Altamiro Borges
Blog do Miro
São Paulo (SP)

Tradução:

Até a Polícia Rodoviária Federal, chefiada pelo fascista Silvinei Vasques – que se veste e se comporta como Benito Mussolini –, está assustada com o grau de radicalização da nova onda de bloqueios nas estradas. A ação é reduzida, mas violenta. Puro terrorismo bancado por empresários bolsonaristas!

Em entrevista à CNN-Brasil, Cristiano Vasconcellos, coordenador de comunicação da PRF, finalmente admitiu que esses bloqueios são criminosos. “Não tem movimento de categoria. Inclusive tem muitos caminhoneiros que estão sendo agredidos, espancados, tendo o seu caminhão desatrelado com sua carga jogada na rodovia. Já jogaram óleo em rodovias federais para causar acidentes… Não tem pauta específica. Simplesmente eles fazem os bloqueios e quem é contra aquilo, sofre agressões, atentados”. Ele prossegue:

“Estamos trabalhando arduamente para a desobstrução das rodovias. Só que antes nós víamos manifestações [sic] e agora são atos criminosos, atos terroristas que estão acontecendo nas nossas rodovias federais com queima de pneus, disparo de armas de fogo nos caminhões, explosão da rodovia federal, queima de pontes para impedir o tráfego”.


Homens encapuzados e extremamente violentos

Já em nota oficial divulgada nesta segunda-feira (21), a PRF de Santa Catarina afirmou que o método usado pelos bolsonaristas para bloquear as estradas “lembra as ações de terroristas ou de black bloc: bombas caseiras feitas de garrafas com gasolina, rojões, óleo derramado intencionalmente na pista, ‘miguelitos’ (pregos usados para furar pneus), pedras, além de barricadas com pneus queimados, latões de lixo, e troncos de árvores cortados e jogados deliberadamente na pista”.

“A maioria das paralisações deste final de semana teve caráter diferente das realizadas logo após as eleições. Na maior parte dos casos, tratava-se de ocorrências criminosas, promovidas no período noturno por baderneiros, homens encapuzados extremamente violentos e coordenados”, diz a nota.

Um dos atos mais violentos dessa nova onda ocorreu no sábado (19). Homens armados atacaram a base da concessionária que administra a BR-163, entre Nova Mutum e Lucas do Rio Verde, em Mato Grosso. “O local foi alvejado por tiros e coquetéis molotov, em meio a um bloqueio de manifestantes favoráveis a Jair Bolsonaro… Os manifestantes contestam o resultado das urnas e pedem intervenção militar”.

QG do golpe bolsonarista opera em antiga sede de farmacêutica investigada na CPI da Covid

Diante dessas ações terroristas, Cristiano Vasconcellos prometeu que a partir desta terça-feira (22), a PRF deve adotar “uma ação bem forte”, junto “com todas as forças de segurança pública”, para liberar as estradas. “Nós vamos atuar com nossa força de choque com a Polícia Militar e a força de choque deles também”. Segundo informou, a PRF prendeu até agora apenas 11 arruaceiros. Até a noite de segunda-feira (21), as rodovias federais tinham 13 interdições e quatro registros de bloqueios. A conferir!

Altamiro Borges | Blog do Miro


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Altamiro Borges

LEIA tAMBÉM

g20-guarani-ms-3
G20 e universidade do MS fecham parceria para produção de conteúdo jornalístico em guarani
MST-40 anos
Brasil possui 2ª maior concentração de terras do mundo, vergonha que MST combate há 40 anos
Lula
Frei Betto | Para Lula, momento exige maior sintonia entre governo e movimentos sociais
Lula-RS-Brasil (2)
Nas mãos de Lula, caos no RS é sequela do bolsonarismo: desmonte ambiental e fake news