Pesquisar
Pesquisar

Carlos Aznárez: Ataque à liberdade de expressão na Argentina

Revista Diálogos do Sul

Tradução:

Entrevista de Carlos Aznárez, diretor de Resumen Latinoamericano, depois de ter sido vítima de um ataque a sua sede no dia 31 de dezembro.  “Sofremos um ataque expropriador dos amigos de sempre”

Mario Hernández*
Carlos Aznárez1Mario Hernández: Resumen Latinoamericano sofreu um atentado.

Carlos Aznárez – Sofremos um ataque expropriador dos “amigos de sempre”, pessoas que estão preocupadas pelo discurso feito geralmente pelos meios alternativos e a cada tanto atuam.

Em 31 de dezembro entraram na redação do jornal na hora em que todo o mundo estava celebrando, quando não havia ninguém, aproveitaram essa hora e estiveram buscando material. Levaram todo o equipamento de vídeo, de som, levaram um projetor, roubaram 5.000 pesos que estava numa bolsa.

Fundamentalmente, vieram em busca dos materiais com os quais trabalhamos habitualmente para os audiovisuais, por exemplo, algo que marca claramente de onde vem essa mão, é que levaram 4 HD externos com a informação dos computadores onde estavam pelo menos dez anos de arquivo de toda nossa atividade audiovisual.. Levaram as gravações de vídeo, em que estavam gravados todos os programas de televisão do Resumen Latinoamericano. Um roubo comum não tem interesse por essas coisas..

Mario Hernández: Sabiam o que estavam buscando

Carlos Aznárez – Foram muito minuciosos, não pegaram nada, não houve nenhuma outro despojo, a casa estava intacta. Não entraram pela porta porque tinha uma grade, teriam que utilizar gazuas. Quando fizemos a denúncia policial, uma questão puramente formal porque sabemos que não se encontrará nunca nada de tudo isso, nos disseram que seguramente entraram pelo teto. Entraram com total impunidade, seguros de si, sabendo o que queriam buscar. Nos deram um golpe forte. Não nos tiram dos meios, mas vai nos custar muito reequipar-nos de novo.

Há uma grande solidariedade de companheiros e colegas, muita gente tem se comunicado conosco, alguns oferecendo-nos uma câmera para trabalhar agora para que o material de Resumen não deixe de sair, nem o programa de televisão nem o de rádio. Vamos seguir adiante, como sempre ocorre nestes casos, querem nos disciplinar, mas temos que combater com mais indisciplina.

Mario Hernández: Evidentemente houve um trabalho prévio de inteligência.

Carlos Aznárez – Não somos os primeiros a sofrer esse tipo de agressão. O pessoal de Anfíbia, os de Cosecha Roja, também. Estão agredindo os que estamos tratando de dar outra informação que não a do discurso único e no nosso caso estamos completando 24 anos de trabalhar com Resumen Latinoamericano, como meio gráfico, televisivo e radiofônico. Esse foi um golpe duro, mas não vão nos calar.

Mario Hernández: Resta-nos registrar nossa solidariedade e fazer o possível para divulgar esses fatos.

Carlos Aznárez – Vamos convocar uma coletiva com a imprensa para denunciar isto e vamos convidar a todos os colegas e companheiros a que se somem. É um momento de estar ombro a ombro e que não nos amedrontemos com este tipo de ações.

 
*Original de Rebelión.org.


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Revista Diálogos do Sul

LEIA tAMBÉM

Petro-Colombia
Petro reage a ataques de guerrilheiros contrários ao acordo de paz: "Não toleraremos"
Milei
"Barbárie" e "desequilíbrio emocional": Petro e Fernández criticam nova selvageria de Milei
José Raúl Mulino
Eleição no Panamá simboliza crise sistêmica que atinge democracia "representativa"
Vox-Abascal-Milei
Xenofobia e delírios ultradireitistas: Vox reúne asseclas em Madri