Pesquisar
Pesquisar

Chile: Membro da Marinha é preso por incendiar igreja dos Carabineros durante manifestação

Por meio de comunicado, a instituição chilena assegurou que “serão aplicados os regulamentos e as medidas disciplinares institucionais”
Redação DCM
DCM
São Paulo (SP)

Tradução:

Na tarde deste domingo (18), um membro da Marinha foi detido por militares dos Carabineros após participar de desordens públicas, durante as manifestações que ocorreram na capital do Chile, Santiago, e culminaram no incêndio da Igreja institucional dos Carabineros.

A instituição, por meio de um comunicado, rejeitou categoricamente a participação do servidor naval nas manifestações que celebravam o ano transcorrido desde a explosão social de 18 de outubro de 2019 contra o governo de Sebastian Piñera.

Por meio de comunicado, a instituição chilena assegurou que “serão aplicados os regulamentos e as medidas disciplinares institucionais”

Twitter
Incêndio na Igreja dos Carabineiros marcou as manifestações do último domingo na capital Santiago.

Verificados os fatos denunciados contra ele, acrescenta a Marinha, “serão aplicados os regulamentos e as medidas disciplinares institucionais”.

Em relação ao membro da instituição detido, a Marinha confirmou que “corresponde a um cabo da Base Naval Aérea de Concón, que estava de folga”.

“Atualmente o integrante da instituição está detido na 19ª Delegacia de Polícia de Providencia, à disposição dos tribunais competentes para a respectiva investigação”, acrescenta.

“A Marinha do Chile condena com veemência estes fatos e se for comprovada a participação deste membro da instituição, tomará as medidas disciplinares correspondentes”, conclui.


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Veja também

   

Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação DCM

LEIA tAMBÉM

Gustavo Petro
Violação dos acordos de paz: entenda por que Petro vai denunciar a própria Colômbia na ONU
Haiti
Haiti: há pelo menos 20 anos comunidade internacional insiste no caminho errado. Qual o papel do Brasil?
Betty Mutesi
“Mulheres foram protagonistas na reconstrução da paz em Ruanda”, afirma ativista Betty Mutesi
Colombia-paz
Possível retomada de sequestros pelo ELN arrisca diálogos de paz na Colômbia