Pesquisar
Pesquisar

Com Covid-19, Trump é a maior fonte de mentiras sobre vírus no mundo, aponta estudo

"A desinformação sobre a Covid-19 é uma ameaça à saúde pública. Se as pessoas são enganadas é menos provável que sigam os conselhos oficiais de saúde"
Redação Sputnik Brasil
Sputnik Brasil
Rio de Janeiro (RJ)

Tradução:

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Cornell, nos EUA, apontou que Donald Trump é responsável pelo maior número de desinformação sobre COVID-19 no mundo. 

O presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou na madrugada desta sexta-feira (2) que ele e a primeira-dama, Melania Trump, testaram positivo para a Covid-19. Ambos entraram em quarentena

O estudo analisou mais de 38 milhões de publicações sobre o novo coronavírus em todo o mundo entre 1º de janeiro e 26 de maio de 2020, sendo que 1,1 milhão destas notícias eram falsas (cerca de 3%).

De acordo a pesquisa, o presidente dos EUA, Donald Trump, foi mencionado como fonte em 37,9% das publicações incorretas sobre a COVID-19, entre as quais apenas 16,4% foram checadas pela mídia, “o que sugere que a maioria foi simplesmente divulgada sem qualquer interferência”.

"A desinformação sobre a Covid-19 é uma ameaça à saúde pública. Se as pessoas são enganadas é menos provável que sigam os conselhos oficiais de saúde"

Leah Millis
Donald Trump

A equipe da Aliança pela Ciência da Cornell, do Departamento de Desenvolvimento Global da Universidade de Cornell, identificou 11 categorias de falsas notícias, como a disseminação de curas milagrosas e teorias da conspiração, que foram as maiores fontes de fake news.

“Embora se possa esperar uma sobreposição substancial entre esses subtópicos, dada a proeminência do presidente Trump dentro do tema das ‘curas milagrosas’, esses resultados reforçam nossa conclusão de que o presidente dos Estados Unidos foi provavelmente o maior impulsionador de desinformação durante a pandemia da Covid-19”, diz a pesquisa.

O estudo também avaliou o impacto das publicações falsas sobre a Covid-19 nas redes sociais, identificando mais de 36 milhões de interações.

“A desinformação sobre a Covid-19 é uma séria ameaça à saúde pública global. Se as pessoas são enganadas por afirmações não comprovadas sobre a natureza e o tratamento da doença, é menos provável que sigam os conselhos oficiais de saúde e, assim, contribuam para a propagação da pandemia e representem um perigo para si mesmas e para os outros”, afirma o documento.

Redação Sputnik Brasil


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Veja também

 

   

Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Sputnik Brasil

LEIA tAMBÉM

Netanyahu
Pouco há para comemorar na decisão da Corte Penal Internacional contra Netanyahu
Nationale Sozialisten,Demonstration,Recht auf Zukunft,Leipzig,17
Conluio da extrema-direita realizado em Madri é só a ponta do iceberg
EUA-fentanil
A DEA, a ofensiva contra o México, o fentanil e os mortos por incúria
Wang-Wenbin-China
China qualifica apoio dos EUA a separatismo em Taiwan como “grave violação” e exige retratação