Pesquisar
Pesquisar

Com vacina própria, governo chinês planeja imunizar toda população até fevereiro

Vacina chinesa tem 79% de eficácia e é aprovada pela OMS; mais de 73 mil pessoas já foram vacinadas em Pequim
Redação Brasil de Fato
Brasil de Fato
São Paulo (SP)

Tradução:

China ampliou o programa de vacinação a mais regiões do país, com o objetivo de proteger a maior parte de sua população do novo coronavírus e, assim, deter sua propagação.

O país está acelerando a implementação da vacina e a capital do país, Pequim, está entre as regiões que iniciaram recentemente processos de imunização para evitar que mais pessoas contraiam o vírus.

A campanha de vacinação na capital começou depois que o governo chinês aprovou, na semana passada, a comercialização de sua primeira vacina contra a Covid, desenvolvida pela empresa farmacêutica estatal Sinopharm e pelo Instituto de Produtos Biológicos de Pequim.

Vacina chinesa tem 79% de eficácia e é aprovada pela OMS; mais de 73 mil pessoas já foram vacinadas em Pequim

Xinhua
A campanha de vacinação na China começou depois que o governo chinês aprovou, na semana passada, a comercialização de sua primeira vacina.

De acordo com as autoridades da capital, mais de 73 mil pessoas já foram vacinadas nos últimos dias e nenhum efeito adverso grave foi relatado até agora. Elas também anunciaram que pretendem concluir o processo de vacinação antes do feriado do festival da primavera, que começa em 12 de fevereiro, e marca o ano novo chinês.

A meta é vacinar pelo menos 50 milhões de pessoas até esta data, com a finalidade de alcançar a imunidade de rebanho contra surtos da doença em diferentes partes da nação, que hoje totaliza 33 novos casos, dos quais 13 foram transmitidos localmente.

A vacina chinesa, resultante da terceira fase de testes clínicos, tem uma eficácia de 79% e atende às normas da Organização Mundial da Saúde. Ela faz parte de uma das três vacinas aprovadas em julho para uso emergencial no gigante asiático.

Por outro lado, o Vietnã já passou três meses sem registrar nenhuma morte por covid-19 e continua sendo um dos países menos afetados com 35 mortes e quase duas mil infecções no total desde o início da pandemia.

A nação do sudeste asiático também anunciou que este mês começará a testar sua segunda vacina contra o coronavírus, produzida localmente.

Tradução: Roxana Baspineiro


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Veja também

   

Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Brasil de Fato

LEIA tAMBÉM

Lula-RS-Brasil (2)
Nas mãos de Lula, caos no RS é sequela do bolsonarismo: desmonte ambiental e fake news
mães - palestina
Dia das Mães: algumas mães só querem a paz de presente, lembra ato pró-Palestina em Brasília
RS - inundações
Chamado à solidariedade internacionalista: inundação no RS demanda mobilização
Lula - 1 de maio
Cannabrava | Lula se perdeu nos atos de 1º de maio