Pesquisar
Pesquisar

Convocação de reservistas visa proteger Rússia e povos nos territórios libertos, declara Putin

Ontem (20), autoridades de regiões pró-russas anunciaram um referendo sobre a adesão a Moscou, que será realizado entre 23 e 27 de setembro
Redação Brasil de Fato
Brasil de Fato
São Paulo (SP)

Tradução:

O presidente russo, Vladimir Putin, anunciou nesta quarta-feira (21/09) uma mobilização parcial dos cidadãos russos para a guerra na Ucrânia. A medida atinge os militares que estão na reserva e aqueles que serviram nas Forças Armadas. No total, mais 300 mil pessoas serão enviadas para o campo de batalha. O decreto foi assinado e publicado no site do Kremlin.

Em pronunciamento à nação, Putin declarou que “a Rússia se opõe ao Ocidente coletivo”, que “procura dividir o país em pedaços”. Portanto, para proteger a integridade territorial da Rússia, segundo ele, é necessário realizar uma mobilização parcial. 

Assista na TV Diálogos do Sul

“Para proteger nossa Pátria, sua soberania e integridade territorial, para garantir a segurança de nosso povo e do povo nos territórios libertados, considero necessário apoiar a proposta do Ministério da Defesa e do Estado-Maior de realizar uma mobilização parcial na Federação da Rússia“, afirmou. 

“Serão convocados os cidadãos que se encontram atualmente na reserva, e sobretudo os que serviram nas Forças Armadas, que possuam determinadas especialidades militares e experiência relevante, estarão sujeitos ao recrutamento para o serviço militar. Os convocados para o serviço militar passarão por treinamento militar adicional sem falta, levando em conta a experiência de uma operação militar especial, antes de serem enviados às unidades”, acrescentou Putin. 

O presidente russo também apoiou os referendos de adesão à Federação Russa nas autoproclamadas Repúblicas Populares de Donetsk e Lugansk, bem como nos territórios de Kherson e Zaporozhie, regiões ucranianas sob o controle da Rússia.

Ontem (20), autoridades de regiões pró-russas anunciaram um referendo sobre a adesão a Moscou, que será realizado entre 23 e 27 de setembro

kremlin.ru
Putin: "No caso de ameaça da integridade territorial da Rússia, usaremos todos os métodos, incluindo armas nucleares, isso não é um blefe"

Mais tarde, o ministro da Defesa, Sergei Shoigu, explicou que a mobilização afetaria cerca de 1% do recurso total de mobilização da Rússia, e 300.000 reservistas seriam enviados para a zona de combate. Ele também prometeu não usar estudantes e recrutas.

Ontem, as autoridades pró-Rússia das regiões de Kherson e Zaporozhye da Ucrânia, bem como os chefes das autoproclamadas Repúblicas Populares de Donetsk e Lugansk, anunciaram um referendo sobre a adesão à Rússia, que será realizado entre 23 e 27 de setembro.

O presidente russo disse que se a integridade territorial do país for ameaçada, a Rússia usará todos os meios à sua disposição.

“No caso de ameaça da integridade territorial da Rússia, usaremos todos os métodos, incluindo armas nucleares, isso não é um blefe”, disse Putin.

Todas essas movimentações acontecem em meio à contraofensiva da Ucrânia, que desde o início de setembro vem anunciando a retomada do controle de territórios na região de Kharkov. 

Redação Brasil de Fato


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:

  • PIX CNPJ: 58.726.829/0001-56 

  • Cartão de crédito no Catarse: acesse aqui
  • Boletoacesse aqui
  • Assinatura pelo Paypalacesse aqui
  • Transferência bancária
    Nova Sociedade
    Banco Itaú
    Agência – 0713
    Conta Corrente – 24192-5
    CNPJ: 58726829/0001-56

       Por favor, enviar o comprovante para o e-mail: assinaturas@websul.org.br 


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.

Redação Brasil de Fato

LEIA tAMBÉM

Congo-golpe-Christian-Malanga
Quem são e o queriam golpistas dos EUA mortos em ataque ao Congo em 19/5
Cuba-bloqueio
EUA mantêm Cuba como patrocinadora do terrorismo para afogar projeto cubano de soberania
Joseph-Stiglitz
Nobel de Economia defende reforma tributária nos EUA que cobre mais dos super riscos
Putin-Xi (1)
Do comércio à segurança, união China-Rússia ganha força e vira dor de cabeça para Ocidente