Pesquisar
Pesquisar

Crianças palestinas viram alvo permanente de Israel: 40 foram mortas e 770 presas só em 2022

O Ministério da Educação palestino reforça seus apelos por esforços coordenados em nome do direito à educação e à vida das crianças palestinas
Redação Monitor Do Oriente Médio
Monitor Do Oriente Médio
São Paulo (SP)

Tradução:

O exército da ocupação israelense executou 40 menores palestinos e deteve mais de 770 outras desde janeiro deste ano, reportaram neste domingo (20) grupos locais de direitos humanos, em memória do Dia Internacional das Crianças.

O Ministério da Educação palestino advertiu que autoridades da ocupação continuam a alvejar crianças e pediu intervenção da comunidade internacional para proteger os direitos da infância e impedir que escolas sejam demolidas nos territórios ocupados.

A instituição de governo confirmou que Israel matou 40 menores e prendeu outras 770 crianças em idade escolar, somente em 2022. Ao menos 160 menores continuam em custódia, incluindo três meninas e estudantes do ensino médio.

Muitas instituições de ensino, alertou a nota, receberam mandados de demolição sem recurso; dentre as quais, duas escolas de Ein Samia, perto da cidade de Ramallah, e Masafer Yatta, no sul da Cisjordânia ocupada, sob risco de demolição a qualquer instante.

O Ministério da Educação palestino reforça seus apelos por esforços coordenados em nome do direito à educação e à vida das crianças palestinas

Scott Montreal – Flickr

"Os palestinos estão lutando pela sobrevivência; Israel luta para manter a ocupação", Amira Hass See More (08/12/2003)

O ministério reforçou seus apelos por esforços coordenados em nome do direito à educação e à vida das crianças palestinas.

A Comissão de Prisioneiros e Ex-prisioneiros da Autoridade Palestina (AP) reiterou que as forças da ocupação israelense fizeram das crianças originárias um alvo permanente de suas políticas de destruição e limpeza étnica, seja ao assassiná-las ou privá-las de sua liberdade.

Desde 1967, segundo estimativas, Israel deteve mais de 50 mil menores de idade; quase 20 mil foram presos desde a deflagração da Segunda Intifada, no ano 2000.

Redação | Monitor do Oriente Médio


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Monitor Do Oriente Médio

LEIA tAMBÉM

Netanyahu
Pouco há para comemorar na decisão da Corte Penal Internacional contra Netanyahu
Nationale Sozialisten,Demonstration,Recht auf Zukunft,Leipzig,17
Conluio da extrema-direita realizado em Madri é só a ponta do iceberg
EUA-fentanil
A DEA, a ofensiva contra o México, o fentanil e os mortos por incúria
Wang-Wenbin-China
China qualifica apoio dos EUA a separatismo em Taiwan como “grave violação” e exige retratação