Pesquisar
Pesquisar

Cuba: "Não foi bomba, nem atentado", garante presidente após explosão de hotel em Havana

Saratoga já foi moradia coletiva e, após reforma, retomou o glamour, tendo hospedado diversas personalidades mundiais, como a Beyoncé; veja imagens
Vanessa Martina-Silva
Diálogos do Sul
Jundiaí (SP)

Tradução:

Um dos principais hotéis luxuosos em Havana, na capital cubana, foi aos ares na manhã desta sexta-feira (6). Por volta das 10h30 local (11h30 de Brasília) usuários começaram a postar imagens da forte explosão que destruiu o hotel Saratoga.

Imediatamente após o ocorrido surgiram especulações de que pudesse ser um ato terrorista, como os que foram realizados nos anos 1990 contra a hotelaria cubana para impedir o desenvolvimento da ilha com o turismo. 

Até momento da postagem dessa matéria, 13 pessoas estavam desaparecidas, oito haviam morrido e mais de 30 estavam sendo atendidas em hospitais em Havana, sendo sete em estado grave, conforme informações do governo.

“Não foi uma bomba, nem um atentado, é um lamentável acidente”, afirmou o presidente Miguel Díaz-Canel.

O mandatário esteve no local ainda no final da manhã e, na sequência,  se dirigiu para os hospitais onde estão as vítimas do acidente.

Segundo informação oficial, o que motivou a explosão foi um vazamento de gás durante o abastecimento do hotel, que estava fechado para reforma e seria reinaugurado em 10 de maio. Desta forma, não havia turistas no local.

Saratoga já foi moradia coletiva e, após reforma, retomou o glamour, tendo hospedado diversas personalidades mundiais, como a Beyoncé; veja imagens

Reprodução Twitter
Os primeiros três andares do hotel Saratoga foram totalmente destruídos

Outra versão, difundida pelo meio opositor 14Ymedio diz que, segundo um funcionário, o que houve foi a explosão de tanques de oxigênio usados em soldas.

Veja instantes após a explosão:

Há uma campanha de solidariedade para que a população doe sangue. “Muitos cubanos estão doando sangue para ajudar os feridos da explosão do Hotel Saratoga. Minha gente é solidária, adoro este povo”, escreveu uma usuária no Twitter. 

Os prédios ao redor do hotel foram severamente afetados, inclusive um prédio residencial ao lado da instalação. A explosão atingiu diversas quadras, inclusive uma escola nos arredores, que foi totalmente evacuada.

Também foram reportados danos severos no Teatro Martí, localizado a 70 metros do local da explosão, bem como a sede da Convenção Batista Ocidental, o templo O Calvário. 

O Corpo de Bombeiros e uma equipe de socorristas tenta encontrar pessoas sob os escombros. Porém, há o temor de que a edificação desmorone, dada a gravidade dos danos nas estruturas da edificação.

História

Construído nos anos 1880 e tornado hotel em 1935, o Saratoga sempre teve destaque na hotelaria cubana por seu glamour. Em meados do século 20, foi um importante centro irradiador da cultura cubana. 

Fachada do Hotel Saratoga, nos anos 1940

Com a Revolução Cubana, o hotel foi nacionalizado e se converteu moradia para pessoas que não tinham onde morar. Após reforma integral, foi reaberto em 2005.

Fachada do Hotel Saratoga após reforma, antes da explosão. Foto: Arquivo CubaDebate

Diversas personalidades estadunidenses se hosperaram nele durante passagem por Havana, como é o caso de Madonna, Beyoncé, Jimmy Page, Will Smith, Phenon e Paris Hilton.


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:

  • PIX CNPJ: 58.726.829/0001-56 

  • Cartão de crédito no Catarse: acesse aqui
  • Boletoacesse aqui
  • Assinatura pelo Paypalacesse aqui
  • Transferência bancária
    Nova Sociedade
    Banco Itaú
    Agência – 0713
    Conta Corrente – 24192-5
    CNPJ: 58726829/0001-56

       Por favor, enviar o comprovante para o e-mail: assinaturas@websul.org.br 


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Vanessa Martina-Silva Trabalha há mais de dez anos com produção diária de conteúdo, sendo sete para portais na internet e um em comunicação corporativa, além de frilas para revistas. Vem construindo carreira em veículos independentes, por acreditar na função social do jornalismo e no seu papel transformador, em contraposição à notícia-mercadoria. Fez coberturas internacionais, incluindo: Primárias na Argentina (2011), pós-golpe no Paraguai (2012), Eleições na Venezuela (com Hugo Chávez (2012) e Nicolás Maduro (2013)); implementação da Lei de Meios na Argentina (2012); eleições argentinas no primeiro e segundo turnos (2015).

LEIA tAMBÉM

protestos-peru
Cleptocracia, ignarocracia, bufocracia: o declínio do substantivo "democracia" no Peru
Bolivia-guerra-hibrida-eua (1)
Guerra híbrida na Bolívia entra em nova fase e EUA querem "mudança de regime" até 2025
Petro-Colombia
Petro reage a ataques de guerrilheiros contrários ao acordo de paz: "Não toleraremos"
Milei
"Barbárie" e "desequilíbrio emocional": Petro e Fernández criticam nova selvageria de Milei