Pesquisar
Pesquisar

Cuba nega venda de vacinas a grupo de empresários do MT por R$ 30 mil: “é doloroso”, diz consulado

Os cubanos estão em processo de desenvolvimento de sua 5º vacina contra Covid-19, a Soberana 01A. A ilha não dispõe da Sputnik V e não cobra pela vacinação
Mariane Barbosa
Diálogos do Sul
Franco da Rocha

Tradução:

O Consulado Geral de Cuba em São Paulo lançou uma nota de esclarecimento nesta quarta-feira (17) para se posicionar em relação a uma notícia falsa que viralizou nas redes nesta semana.

O conteúdo atribuído ao site odocumento.com.br dizia que empresários da cidade de Cuiabá, capital do Mato Grosso, estariam fretando um avião para tomar a vacina russa contra a Covid-19 Sputnik V em solo cubano. 

Sobre o tema
Um ano de coronavírus: Confira 35 fatos sobre a pandemia em Cuba

A notícia dizia ainda que os 120 empresários estariam dispostos a gastar cada um, o valor de R$ 30 mil, cujo montante seria utilizado no frete da aeronave e hospeda em, totalizando R$ 3,6 milhões para se vacinarem na ilha de Fidel Castro. Parte desse dinheiro seria doado ao governo cubano.

Os cubanos estão em processo de desenvolvimento de sua 5º vacina contra Covid-19, a Soberana 01A. A ilha não dispõe da Sputnik V e não cobra pela vacinação

Divulgação/Sputnik V
A ilha caribenha não dispõe da vacina russa Sputnik V e não cobra pela vacinação.

Porém, Cuba não dispõe da vacina russa e não cobra pela vacinação. “As notícias falsas têm o propósito de machucar, o que é doloroso em uma conjuntura tão difícil como a que vive agora a humanidade”, diz trecho do documento divulgado pela ilha.

Atualmente, Cuba está em processo de desenvolvimento de sua quinta vacina contra a Covid-19, a Soberana 01A.

Leia também
Desenvolvendo a quinta vacina, Cuba está cada vez mais perto de iniciar vacinação massiva

O país também possui outros quatro imunizantes em distintas fases: a Soberana 01, já na etapa II de teses; a Soberana 02, a candidata vacinal mais avançada, com 150 mil doses produzidas e em fase três; a Abdala, que iniciou a fase três de provas na capital Havana e em Santiago, com aplicação em 42 mil voluntários; e a Mambisa, ainda na primeira fase de testes clínicos, que seria o primeiro medicamento contra a covid-19 com aplicação nasal.


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na Tv Diálogos do Sul

   

Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Mariane Barbosa

LEIA tAMBÉM

Vox-Abascal-Milei
Xenofobia e delírios ultradireitistas: Vox reúne asseclas em Madri
Xi Jinping - Putin
Encontro de Xi e Putin fortalece relação histórica e aliança contra ofensiva “dupla” dos EUA
Alvaro-Uribe
Colômbia: Uribe pode ser condenado a 12 anos de prisão em julgamento por suborno e fraude
Gustavo Petro
Violação dos acordos de paz: entenda por que Petro vai denunciar a própria Colômbia na ONU