Pesquisar
Pesquisar

Danos superam milhões no Equador

Redação Diálogos do Sul

Tradução:

Portoviejo (Manabí), 18 abr 2016.- El Presidente de la República, Rafael Correa, visitó la Base Aérea Teniente Hugo Ortíz, con el ánimo de constatar cómo se están repoartiendo los vivires que llegan como donación para los damnificados del terremoto del pasado sábado 16 de abril. Foto: Carlos Silva / Presidencia de la Rapública
Portoviejo (Manabí), 18 abr 2016.- O Presidente da República, Rafael Correa, visitou a Base Aérea Teniente Hugo Ortíz, com o animo de constatar como se está repartindo os alimentos que chegam como donacões para as vítima do terremoto. Foto: Carlos Silva / Presidencia de la Rapública

O presidente do Equador, Rafael Correa, calcula em cerca de três bilhões de dólares o valos dar perdas causadas pelo terremoto de 7,8 graus que no sábado passado devastou a costa norte do país.

Eu calculo, grosso modo, em três bilhões, declarou o presidente quando na terça-feira percorria as zonas mais afetadas pelo terremoto que até agora deixou um saldo de 413 mortos e mais de dois mil feridos.
De acordo com o presidente, a cifra corresponde a 3% do PIB do Equador, o que exigirá alguns anos para a reconstrução. É uma longa luta, alertou, contudo, não é para desanimar, exortou. Hora antes tinha anunciado que a província de Manabi será reconstruída.
“Já reconstruímos Manabi uma vez e voltaremos a fazer. A tragédia é grande, porém maior é é o valor do povo equatoriano”, disse.
O terremoto de sábado teve seu epicentro nas imediações do balneário de Pedernales, onde a maioria dos edifícios foram destruídos, enquanto cidades próximas como Manta, Portoviejo, Jama e outras também sofreram graves danos.
O número de vítimas poderá aumentar ainda mais. Os especialistas alentar que as primeiras 72 horas são cruciais para encontrar sobreviventes.
Nos trabalhos de resgate participam mais de 500 especialistas que vieram de Venezuela, Colômbia, Peru, Cuba, Bolívia, Chile, México e El Salvador, para reforçar os 609 bombeiros locais. Por disposição do governo uns dez mil efetivos das forças armadas e 4.600 policiais estão mobilizados nas áreas afetadas.
Continua a busca por sobreviventes
Especialistas de nove nações trabalham no Equador com a esperança de encontrar mais sobreviventes entre os escombros e curar os feridos num dos piores terremotos da história do país. Os trabalhos de resgate e procura de pessoas constituem a prioridade estabelecida pelo governo desde 16 de abril.
Diante da gravidade da situação o Executivo decretou Estado de Exceção para preservar a ordem público e liberou fundos contingenciados com o objetivo de apoiar  a reconstrução. Ato seguido autorizou o ministério de Finanças a desembolsar 160 milhões de dólares de um fundo que o país tem de 600 milhões para atender casos de emergência.
Em reunião de Gabinete ampliada o Executivo também decidiu transferir 43 milhões de dólares para os Governos Autônomos Descentralizados de Manabí, para ajudar a conseguir recursos necessários para enfrentar a emergência.
A Secretaria Nacional de Riscos informou que 640 pessoas estão nos abrigos, 805 prédios foram destruídas, 608 danificadas além de 119 escolas.
A Cruz Vermelha Equatoriana, por sua vez, estima que o número de desabrigados pode superar 100 mil pessoas.
Segundo o ministro de Transporte e Obras Públicas, mais de dez por cento da rede viária do estado ficou destruída.
Em Quito e outras cidades a população organiza coletas de alimentos, cobertores, tendas, água engarrafada e outros artigos para auxiliar a população da costa.
Depois do terremoto de 16 de abril os sismógrafos do Instituto Geofísico já registraram  327 réplicas com magnitude entre 2 e 6 graus na escala Richter.
Médicos cubanos prestam ajuda
Médicos do contingente Henry Reeve, enviado por Cuba para apoiar e prestar serviços estão na cidade de Bahía de Caráquez. A Jefe da brigada, Maria Isabel Martínez, organizou um centro cirúrgico e uma unidade de terapia intensiva no hospital local que está muito danificado.
Outro grupo, de paramédicos, enfermeiros e especialistas em reabilitação, procedente de Cuba acompanha as equipes cubanas de resgate na busca por sobreviventes.
Martinez informou que os 200 especialistas em medicina geral integral desse último grupo estão organizados em blocos para atender as emergências e permanecerá no Equador o tempo que for necessário.
China prepara plano de ajuda
O governo da China está ultimando a elaboração de um plano de assistência humanitária ao Equador, anunciou um porta-voz do ministério de Relações Exteriores, Hua Chunying.
A Cruz Vermelha chinesa, por sua vez, doou 100 mil dólares em dinheiro em ajuda de emergência para a filial equatoriana da instituição.
Informou também que a administração oferecerá imagens de satélite a Equador para os trabalhos de busca.
O presidente da China, Xi Jinping, enviou mensagem de condolências pela catástrofe ao presidente Correa.
 
*Prensa Latina, de Quito, Equador e de Pequim, especial para Diálogos do Sul
 


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Diálogos do Sul

LEIA tAMBÉM

Vox-Abascal-Milei
Xenofobia e delírios ultradireitistas: Vox reúne asseclas em Madri
Xi Jinping - Putin
Encontro de Xi e Putin fortalece relação histórica e aliança contra ofensiva “dupla” dos EUA
Alvaro-Uribe
Colômbia: Uribe pode ser condenado a 12 anos de prisão em julgamento por suborno e fraude
Gustavo Petro
Violação dos acordos de paz: entenda por que Petro vai denunciar a própria Colômbia na ONU