Pesquisar
Pesquisar

De “o petróleo é nosso” para vosso: Petrobras perdeu soberania para servir aos EUA

Hoje, companhia é gerida por Fundo Financeiro de Nova Iorque, sem compromisso com o Brasil, portanto abandonando caráter estatal
Claúdio di Mauro
Diálogos do Sul
Uberlândia (MG)

Tradução:

No Seminário PARA A TRANSFORMAÇÃO DO BRASIL tivemos a presença de uma das vozes mais eloquentes e que possui vida e história na Petrobras Trata-se do geólogo Guilherme Estrella.

Ele iniciou com a seguinte pergunta: o que representa a energia para a economia e a vida em geral? 

O quadro geopolítico mundial se alterou significativamente com a revolução industrial. A energia ganhou grande importância pois ela é base para o desenvolvimento industrial.

Assista na TV Diálogos do Sul

As grandes nações do mundo, especialmente na Europa, objetivando a industrialização no século XIX desenvolveram a matriz energética. Tal desenvolvimento alcançou Inglaterra, França, Bélgica e só posteriormente os Estados Unidos da América do Norte.

O Brasil ficou para trás, somente no século XX se atentou para essa realidade. No meio daquele século, Getúlio Vargas compreendeu a importância da energia como componente necessário ao estabelecimento da Soberania Nacional com inserção na geopolítica mundial. Criou o Conselho Nacional de Petróleo e construiu a primeira refinaria brasileira.

Getúlio no Governo iniciou a exploração de petróleo após a descoberta de nosso primeiro campo petrolífero. Em 1953 foi criada a Petrobrás, fruto de imensa movimentação popular tendo slogan “O PETRÓLEO É NOSSO”.

Também em 1953, o Brasil fundou na Petrobrás seu Centro de Pesquisa, com a responsabilidade de desenvolver Pesquisa sobre Petróleo e seus campos de exploração. Nesse período, 80% da matriz energética mundial era procedente do Petróleo.

Hoje, companhia é gerida por Fundo Financeiro de Nova Iorque, sem compromisso com o Brasil, portanto abandonando caráter estatal

Petrobras
Hoje, a Petrobrás é gerida por um Fundo Financeiro de Nova Iorque, sem compromisso com o Brasil.

Exploração do Petróleo no Brasil

No Brasil a exploração do Petróleo começou nas áreas continentais. Só muito posteriormente iniciaram as pesquisas e a implantação de procedimentos para explorar áreas oceânicas. Foi em 1968 que se descobriu um primeiro campo de petróleo em área oceânica, dando nova motivação à Petrobrás e demonstrando que o Centro de Pesquisa tinha competência. Com tal reconhecimento, as pesquisas alcançaram os estudos e perfurações para águas profundas..

Isso foi absolutamente pioneiro no Mundo e levou a Petrobrás a receber um Prêmio que equivale ao Prêmio Nobel na área do petróleo. Importante: essa conquista foi realizada por uma Empresa Estatal e Monopolista, como disse Estrella.

Consenso de Washington

Em 1989 com a queda do Muro de Berlim, os Estados Unidos reuniram os países ocidentais para construir o Consenso de Washington, objetivando o controle e a hegemonia sobre a geopolítica mundial.

Esse Consenso aprovou pontos, entre os quais: redução de gastos públicos; reforma tributária; juros de mercado; câmbio de mercado; investimentos estrangeiros diretos; eliminação de restrições; privatização de estatais; desregulamentação e afrouxamento das leis econômicas e trabalhistas e direitos da propriedade industrial.

Cannabrava | País desmorona enquanto abutres devoram Petrobras e o que resta do Brasil

As consequências do consenso de Washington estamos vivendo e vendo na atualidade.

Governo FHC

Com o governo Fernando Henrique Cardoso, houve a diminuição em 52% do orçamento da Petrobrás. Em 1995, foi deflagrado o processo de construção do gasoduto Brasil-Bolívia em condições muito desfavoráveis para a Petrobrás.

Também em 1995, FHC quebrou o monopólio estatal do petróleo. São momentos muito negativos para a saúde financeira-pesquisa da Petrobras. Isso tudo atendendo ao Consenso de Washington.

Também foi de FHC quem criou a Agência de Petróleo, e designou um de seus parentes para presidi-la, que em seu discurso de posse afirmou: “O Petróleo não é mais Nosso ele agora é Vosso”.

Isso tudo estrangulou o destino da Petrobrás que passou a vender ações para estrangeiros, abrindo o capital da empresa e colocando-a na Bolsa de Valores de Nova Iorque. Ou seja, nossa empresa estatal tendo que obedecer normas próprias da Bolsa de Valores de outro país.

Chegou-se mesmo a pretender a mudança do nome de Petrobras para Petrobrax.

A exploração da Petrobrás se concentrava na Bacia de Campos, mas todo o litoral brasileiro foi aberto para empresas estrangeiras.

Lula e a soberania energética

Em 2002, com a posse do Presidente Lula, há providências muito importantes: quebrando regras na área de exploração e produção. A Petrobrás teve que reassumir seu protagonismo na área de petróleo e gás natural.

O Centro de Pesquisas e as perfurações faziam da empresa a mais competente. Recuperou a Braspetro; Gasodutos; criou a Biocombustíveis, a área de fertilizantes; comprou a Liquigás. Correu imenso risco ao perfurar um poço que custou 220 milhões de dólares, mas resultou na descoberta do Pré-Sal.

O Brasil ficou com seu setor de energia completamente vitorioso, podendo construir o Projeto Nacional Soberano, totalmente nacional e com a competência das equipes técnicas da Petrobrás de Universidades e Centros de Pesquisas de Universidades Brasileiras.

A Petrobrás foi transformada na operadora única, pois pelas regras quem descobre o campo de petróleo é quem faz sua exploração.

Isso tudo acirrou a cobiça internacional contra o Brasil e surgiram as fraudes jurídicas para destruição da democracia, entregando tudo. Tudo foi construído para interesses privados, estrangeiros.

Mesmo com Lula, será quase impossível recuperar Petrobras após destruição feita, diz Gabrielli

Todo esse produto de décadas de construção foi desmontado para atender as decisões do Consenso de Washington. O Sistema Integrado da Petrobras é gerido de maneira integrada, administrando os preços, por exemplo do óleo e da gasolina é indispensável para o desenvolvimento industrial brasileiro.

Esse sistema foi quebrado para vender os campos petrolíferos de terras, de águas rasas e refinarias. O sistema foi esquartejado tendo como fundamento a abertura total do mercado brasileiro. Aí está o capitalismo produtivo se transformando em capitalismo financeiro.

Hoje, a Petrobrás é gerida por um Fundo Financeiro de Nova Iorque, sem compromisso com o Brasil. A Petrobrás hoje atua como uma empresa que não é do Brasil, não é estatal.

Daí, a necessidade de haver a reconstrução do Brasil e com isso, da Petrobrás.

Claudio di Mauro é geógrafo e colaborador da Diálogos do Sul.


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:

  • PIX CNPJ: 58.726.829/0001-56 

  • Cartão de crédito no Catarse: acesse aqui
  • Boletoacesse aqui
  • Assinatura pelo Paypalacesse aqui
  • Transferência bancária
    Nova Sociedade
    Banco Itaú
    Agência – 0713
    Conta Corrente – 24192-5
    CNPJ: 58726829/0001-56

       Por favor, enviar o comprovante para o e-mail: assinaturas@websul.org.br 


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Claúdio di Mauro

LEIA tAMBÉM

Lula
Frei Betto | Para Lula, momento exige maior sintonia entre governo e movimentos sociais
Lula-RS-Brasil (2)
Nas mãos de Lula, caos no RS é sequela do bolsonarismo: desmonte ambiental e fake news
mães - palestina
Dia das Mães: algumas mães só querem a paz de presente, lembra ato pró-Palestina em Brasília
RS - inundações
Chamado à solidariedade internacionalista: inundação no RS demanda mobilização