Pesquisar
Pesquisar

Dia da África, neste 25/05, celebra conquistas do Continente Berço da Humanidade

Data também é oportunidade de debater e promover um desenvolvimento sustentável e inclusivo de todo o território africano
Florbela Catarina Malaquias
Pressenza
Luanda

Tradução:

O Dia de África é celebrado anualmente em 25 de Maio. Neste ano de 2023, o Partido Humanista de Angola (PHA) valoriza a celebração do Dia de África como uma oportunidade para rememorar as conquistas dos povos africanos, em geral, e dos povos de Angola, em particular, no que diz respeito à paz e à reconciliação.

No caso de Angola, após um longo período de guerra civil de cerca de 27 anos que terminou em 2002, a paz e a reconciliação desempenham um papel fundamental na estabilização do país, daí a importância de manter e fortalecer esses pilares essenciais para o desenvolvimento equilibrado e a promoção dos direitos humanos.

Continua após o banner

O Partido Humanista de Angola entende que, no pós-guerra, os vetores de progresso deveriam passar pela produção agrícola para erradicar a fome, visto que Angola tem agua e terras férteis com fartura; habitação para que as pessoas vivam com a dignidade que lhe é ínsita; educação para criar uma sociabilidade humanizada; serviços públicos de saúde, acessíveis a todas e todos, porque o país tem riquezas suficientes e o estado tem essa obrigação; e, sobretudo, justiça social.

Aliás, a nossa concepção humanística fundamenta-se na filosofia africana UBUNTU, “Eu sou porque nós somos”, na Carta Africana dos Direitos Humanos e dos Povos e na Declaração Universal dos Direitos Humanos.

A situação atual do continente africano é diversa e complexa, com diferenças significativas entre os países e regiões. No entanto, numa visão geral existem alguns aspectos e desafios comuns aos países africanos:

1. A África tem experimentado um crescimento econômico sólido nos últimos anos, embora a taxa varie entre os países.

2. A desigualdade econômica ainda é um desafio em muitos países africanos. Apesar do crescimento económico, uma parcela significativa da população vive em situação de pobreza, com dificuldades no acesso a serviços básicos de saúde, habitação, educação e água potável.

3. Alguns países africanos ainda enfrentam conflitos internos, instabilidade política e desafios de segurança.

4. Questões relacionadas à governança, transparência e corrupção ainda representam desafios em muitos países africanos, pondo em causa o desenvolvimento e o fortalecimento das instituições democráticas.

5. A saúde pública continua a ser uma área prioritária em muitos países africanos, assolados pela malária, tuberculose e outras doenças infecciosas.

6. Muitos países africanos estão a trabalhar para melhorar o acesso à educação de qualidade, aspecto essencial para o desenvolvimento humano.

É importante, no entanto, reconhecer os esforços em curso, tanto no nível nacional quanto no âmbito continental, para abordar essas questões e promover um desenvolvimento sustentável e inclusivo em toda a África.

Leia também: Tempo, memória e reencontro: retornar à África vai além de atravessar o Atlântico

No Dia de África celebra-se o espírito africano, a herança cultural, a diversidade e o potencial ilimitado do Continente Berço da Humanidade.

Florbela Catarina Malaquias | Presidenta do Partido Humanista de Angola.


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Florbela Catarina Malaquias

LEIA tAMBÉM

vintage-historic-photos-of-the-battle-of-berlin-1945-bw-10
A batalha de Berlim e a rendição nazista: entrevista com um combatente
Paris
Da Porte de la Villette à Bastille: uma jornada pela cultura e modernidade de Paris
Questão-racial-Brasil (1)
Lima Barreto, 13 de maio e a questão racial no Brasil
ASTROJILDOPEREIRA-MGLIMA-2023-OK
O marxismo de Astrojildo Pereira, fundador do Partido Comunista do Brasil (PCB)