Pesquisar
Pesquisar

Dia do Controle da Poluição por Agrotóxicos: liberação com Bolsonaro é a maior em 15 anos

Data pretende conscientizar sobre os riscos para a saúde e o meio-ambiente quando há o uso indiscriminado de substâncias como pesticidas e praguicidas
Redação Diálogos do Sul
Diálogos do Sul
São Paulo (SP)

Tradução:

Desde o início do governo Bolsonaro, em 1º de janeiro de 2019, foram liberados pela Anvisa 945 novos produtos agrotóxicos, a maior liberação dos últimos 15 anos. Muitos deles de alta periculosidade para a saúde humana e o meio ambiente (incluindo águas e solos).

Nesta segunda-feira, 11,  é celebrado no Brasil o Dia do Controle da Poluição por Agrotóxicos. A data pretende conscientizar sobre os riscos para a saúde e o meio-ambiente quando há o uso indiscriminado de substâncias como agroquímicos, pesticidas e praguicidas. 

A Fiocruz, fundação que tem como principal pilar a promoção da saúde e do desenvolvimento social, relatou que recebe, no mínimo, 10 mil denúncias de intoxicação de agrotóxicos por ano

O jornal Valor Econômico mostrou que, em 2019, houve isenção fiscal ou subsídio de mais de 14 bilhões para os produtores e vendedores de agrotóxicos.

Veja também:

Data pretende conscientizar sobre os riscos para a saúde e o meio-ambiente quando há o uso indiscriminado de substâncias como pesticidas e praguicidas

Abrale
Em 2019, houve isenção fiscal ou subsídio de mais de 14 bilhões para os produtores e vendedores de agrotóxicos.

Outro problema que nosso país enfrenta hoje são os agrotóxicos ilegais que entram no país com a justificativa do preço baixo. O produto legal paga imposto e tem de ter certificação de órgãos reguladores, enquanto o ilegal ignora tudo isso. 

A Agência Internacional para a Pesquisa do Câncer (AIPC), órgão ligado à Organização Mundial da Saúde publicou um relatório em que confirma que o glifosato, produto fabricado pela multinacional Monsanto, é um agente potencialmente causador de câncer.

Além disso, há estudos sérios que associam a exposição a agrotóxicos à malformação de fetos. 

Os agrotóxicos também podem causar problemas neurológicos, dificuldades respiratórias, irritações na pele, manifestações gastrointestinais e alterações no sistema reprodutor masculino e feminino.

Agrotóxicos na torneira

Testes realizados entre 2014 e 2017 apontaram que há água contaminada em cidades de todo o Brasil

Segundo pesquisadores, ainda não há no mercado métodos que retirem totalmente o agrotóxico da água – o que reforça a importância de as autoridades monitorarem a qualidade da água.

Já no caso dos alimentos, deixar os produtos de molho na água sanitária, bicarbonato de sódio ou vinagre pode ajudar a retirar os tóxicos impregnados nas cascas – mas a medida não tem efeito nos casos em que o veneno chega à parte interna do produto.


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Veja também

Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Diálogos do Sul

LEIA tAMBÉM

Lula-RS-Brasil (2)
Nas mãos de Lula, caos no RS é sequela do bolsonarismo: desmonte ambiental e fake news
mães - palestina
Dia das Mães: algumas mães só querem a paz de presente, lembra ato pró-Palestina em Brasília
RS - inundações
Chamado à solidariedade internacionalista: inundação no RS demanda mobilização
Lula - 1 de maio
Cannabrava | Lula se perdeu nos atos de 1º de maio