Pesquisar
Pesquisar

Dialogo interreligioso solicita ao PARLASUL políticas públicas de laicidade inclusiva

João Baptista Pimentel Neto

Tradução:

parlasulNesta terça-feira, dia 9 de setembro se realizou a inauguração do Dialogo Interreligioso 2014 no Edifício do MERCOSUL, convocado pelo PARLASUL, com a finalidade da institucionalização de um espaço de intercâmbio de pluralidade de expressões de fé, através da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania do organismo.

Diálogo-inter-religiosoA Mesa de apertura esteve integrada pelo Presidente do Parlamento do MERCOSUL, Rubén Martínez Huelmo, quêm expôs em nome da Mesa Diretora e dos 124 parlamentares que integram o PARLASUL, alguns princípios vigentes no aspecto religioso como direito humano“liberdade de pensamento, de conciência, religião e crença”, e expressou que pela diversidade cultural do PARLASUL é fundamental procurar uma integração regional sem exclusão alguma, em busca da“paz e o respeito da liberdade de conciência”, e também disse que esta iniciativa poderia se repetir na Argentina.

Do mesma jeito se expressou o Ministro de Educação e Cultura do Uruguai, Ricardo Ehrlich, em representação do Poder Executivo, explicou que os desafíos se acrescentam por este tempos de mudanças, fazendo um chamado à “ batalha contra a intolerância” já que “nenhuma dor nos é alehia”, e remarcando que este tema é um dos grandes desafíos nesta área do mundo.

Luego hicieron uso de la palabra los representantes de los diferentes grupos que participaron en la actividad, entre ellos Sebastián Camacho, de la Iglesia Veterocatólica Abracista y Arzobispo de la Iglesia Católica Antigua quien expresó la necesidad de apoyar a los gobiernos y luchar por la igualdad de oportunidades, sobre todo el llevar educación a los niños y sus familias.

Armin Ihle, da Congregação Evangélica Luterana e da Confraternidad Judeu-Cristã do Uruguai, destacou o rechaço contra o antisemitismo e a defesa do estado de Israel. Igualmente, Heba Viera da Associação de Mulheres Muçulmãs do Uruguai, definiu o Islã como um estilo de vida social, ético, moral e político.

Pela Igreja Católica Apostólica e Romana e a Conferência Episcopal do Uruguai, Monsenhor Jaime Fuentes, destacou a educação na sua intervenção e assinalou que “este diálogo é o começo para tomar decisões em nossa convivência (…) e o começo de algo novo”.

Finalizando a primeira parte, Susana Andrade, representante de Atabaque, indicou o interesse de lhe fazer chegar ao Vaticano o Relatório final deste Diálogo Interreligioso, pelo que em sua alocução expressou “reclamamos aos países do MERCOSUL através do PARLASUL políticas públicas que busquem uma laicidade inclusiva”.

Em horas da tarde se realizaram as oficinas relativas a quatro eixos temáticos: a Discriminação e a Religão; A Violência e Convivência ou superação pacífica dos conflitos; A Educação e a Laicidade; e o Meio Ambiente e as Religiões, tudo isto com o propósito de somar propostas para a realização de uma Cúpula Interreligiosa, onde se busquem contribuições dos atores crentes da sociedade, à preservação da paz, a tolerância, a resolução pacífica dos conflitos e o próprio diálogo.

Grupos religiosos que participaram

ReligiõesJulio Kronberg, da Instituições Federadas Afroumbandistas do Uruguai; Sima Baher da Fé Bahai; Sebastián Camacho, da Igreja Veterocatólica Abracista e da Igreja Católica Antiga; Círculo Teúrgico do Uruguai; Representante da filosofía Ubuntu do Congo; Comunidade Espiritual Nativa Charrúa; Ariel Kleiner da Confraternidade Judeu-Cristã do Uruguai e Nova Congregação Israelense; Armin Ihle, da Congregação Evangélica Luterana e da Confraternidade Judeu-Cristã do Uruguai; Heba Viera da Associação de Mulheres Muçulmanas do Uruguai; Ubaldo Pino da Igreja Católica Liberal; Monsenhor Jaime Fuentes, da Igreja Católica Apostólica e Romana e Conferência Episcopal do Uruguai; Alejandro Russi da Igreja da Comunidade Metropolitana do Uruguai; Yancey Castro do Centro Bhakti Yoga do Uruguai; Raúl Rey da Federação das Famílias; Budismo Nichiren Daishonin – Soka Gakkai; Marisa Maltzman da Associação Civil Brahma Kumaris do Uruguai; Antonio Cappi da Igreja de Jesuscristo dos Santos dos Últimos Días; Marcelo Chiesa da Igreja Anglicana do Uruguai; Hugo Armand Pilon da Federação de Igrejas Evangelicas do Uruguai.

Agencia PARLASUR ma- pb – as


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
João Baptista Pimentel Neto Jornalista e editor da Diálogos Do Sul.

LEIA tAMBÉM

Gustavo Petro
Violação dos acordos de paz: entenda por que Petro vai denunciar a própria Colômbia na ONU
Haiti
Haiti: há pelo menos 20 anos comunidade internacional insiste no caminho errado. Qual o papel do Brasil?
Betty Mutesi
“Mulheres foram protagonistas na reconstrução da paz em Ruanda”, afirma ativista Betty Mutesi
Colombia-paz
Possível retomada de sequestros pelo ELN arrisca diálogos de paz na Colômbia