Pesquisar
Pesquisar

É preciso lutar para garantir a vida da vereadora eleita em SC Ana Lúcia Martins

Desde o dia 15 de novembro, a professora e primeira mulher negra eleita vereadora na história da cidade, vêm sofrendo diversos ataques
Redação Geledés
Geledés
São Paulo (SP)

Tradução:

Desde o dia 15 de novembro, ainda antes do resultado das eleições municipais em Joinville (SC), a professora Ana Lúcia Martins (PT), a primeira mulher negra eleita vereadora na história da cidade, vêm sofrendo diversos ataques, como o hackeamento de suas redes sociais, comentários racistas e ameaças de morte.

Logo no dia seguinte à sua eleição, um radialista de Joinville atacou Ana Lúcia Martins, afirmando que não poderia “comemorar uma petista no poder novamente” e que o seu partido “não deveria existir mais”. Naquele mesmo dia, no Twitter, um perfil respondia com ameaças os apoiadores que comemoravam a eleição de Ana Lúcia. Numa das mensagens, o criminoso escreveu o seguinte: “OS FASCISTAS MANDARAM AVISAR QUE ELA QUE SE CUIDE”. Em outra, o autor das ameaças disse: “agora só falta a gente m4t4r el4 e entrar o suplente que é branco (sic)”. No perfil do racista, havia outras mensagens de ódio e também a divulgação de uma tal “Juventude Hitlerista”, composta por cerca de 25 mil membros.

Desde o dia 15 de novembro, a professora e primeira mulher negra eleita vereadora na história da cidade, vêm sofrendo diversos ataques

Facebook/Reprodução
Ana Lúcia Martins é a primeira vereadora negra eleita em Joinville.

Após a denúncia e grande repercussão do caso, iniciou-se uma investigação para descobrir os autores do crime. No último domingo, 22 de novembro, a Polícia Civil realizou busca e apreensão na casa de um jovem de 22 anos, suspeito de ser o autor dos ataques. O jovem não foi preso por não ser pego em flagrante. Em depoimento, familiares alegam que ele sofre de esquizofrenia.

Ainda no domingo, após o mandado, a vereadora Ana Lúcia Martins sofreu novas ameaças de morte, ainda mais graves, desta vez por e-mail, com cópia para jornalistas, OAB, Tribunal de Justiça, entre outros órgãos públicos. O vereador Alisson Julio, eleito pelo Novo, que também recebeu o e-mail com as ameaças contra Ana Lúcia, registrou Boletim de Ocorrência e divulgou em suas redes sociais, passou a sofrer ataques e ameaças de morte na resposta dos e-mails enviados.

Diante deste grave e preocupante cenário, convocamos todos e todas para juntos lançarmos uma campanha nacional e internacional de apoio a Ana Lúcia Martins e para pressionar os órgãos responsáveis para que sejam tomadas as devidas providências para proteger a vida e a integridade de Ana Lúcia Martins e para que descubram e punam os autores destas práticas criminosas, que configuram também um evidente ataque à democracia e aos direitos humanos.


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Veja também

   

Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Geledés

LEIA tAMBÉM

Prancheta 55
Reino Unido decide expulsar mais de 50 mil pessoas solicitantes de asilo para Ruanda
Design sem nome - 1
Mortes, prisões e espionagem: jornalista palestina escancara ‘apartheid’ de Israel
Palestina-jovens
No 76° aniversário da Nakba, juventude internacional se levanta pela Palestina
Nakba
Crônica de uma Nakba anunciada: como Israel força “êxodo massivo” dos palestinos de Gaza