Pesquisar
Pesquisar

Eleições na Rússia: o que significa o avanço do Partido Comunista na Duma?

O Partido Comunista é a segunda maior força no legislativo, aparecendo atrás do partido Rússia Unida, de Vladmir Putin, que está há 20 anos no poder
Redação Semanário Voz
Bogotá

Tradução:

Nos últimos 17 e 19 de setembro realizaram-se eleições legislativas na Rússia, nas quais o eleitorado escolheu 450 lugares na Duma Estatal (parlamento) da Federação Russa. No processo de renovação parlamentar, o Partido Comunista da Federação consolidou um significativo avanço, colocando-se como a segunda força política no país, depois da Rússia Unida, do presidente Vladimir Putin.

De fato, com 95% dos votos apurados, na segunda-feira desta semana foi informado que os comunistas tinham chegado a 23,04% dos votos. Há cinco anos, para as eleições presidenciais, os comunistas obtiveram 13% dos votos.

O Partido Comunista é a segunda maior força no legislativo, aparecendo atrás do partido Rússia Unida, de Vladmir Putin, que está há 20 anos no poder

gazeta do povo
O Partido Comunista despontou como o beneficiário deste desgaste, depois de 20 anos de Rússia Unida no poder

Rússia Unida lidera

A Rússia Unida liderou as eleições legislativas, como era de se esperar. Mas percentualmente, obteve os piores resultados desde 2003, devido fundamentalmente a uma perda de confiança do eleitorado no partido do governo.

A participação nas urnas foi de 45,15%, muito pouca na tradição russa. Muitos eleitores da oposição ficaram em casa, razão pela qual o resultado para o oficialismo podia ter sido pior.

A Rússia Unida liderou o evento com 49,63% dos votos, um pouco menos da metade do eleitorado. Em terceiro lugar ficou o Partido Liberal-Democrata, com 8,77% dos votos. Na Duma estarão cinco partidos políticos que superaram o índice de 5%, um a mais do que na anterior legislatura.

Para os resultados do partido de governo pesaram o manejo da pandemia, que para alguns não foi o melhor, e a piora da situação econômica dos cidadãos. Neste momento, 17,8 milhões de trabalhadores têm renda abaixo do nível de subsistência. 

Com este panorama, muitos candidatos de oposição não puderam inscrever-se por diversas travas da burocracia eleitoral. Outros permanecem exilados.

O Partido Comunista despontou como o beneficiário deste desgaste, depois de 20 anos de Rússia Unida no poder. Nesta ocasião Moscou e São Petersburgo aparecem como baluartes da votação comunista.

Redação Semanário Voz

Tradução de Ana Corbisier


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na Tv Diálogos do Sul

 

   

Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Semanário Voz

LEIA tAMBÉM

Wu Qian - China
Líder em Taiwan empurra compatriotas para situação perigosa de guerra, afirma China
Rússia-Defesa
Kremlin manda prender altos funcionários da Defesa por corrupção; entenda o caso
Rafah-ataque-Israel
Fepal: Como Alemanha nazista, Israel deve ser parado pela força das armas
Netanyahu
Pouco há para comemorar na decisão da Corte Penal Internacional contra Netanyahu