Pesquisar
Pesquisar

Em ato histórico, USP, Unesp e Unicamp pedem que Dória garanta autonomia universitária

Universidades querem garantir direito de criar suas próprias normas de organização didático-científica, administrativa e financeira
Adriana Cruz
Jornal da USP
São Paulo (SP)

Tradução:

Em sessão extraordinária realizada no dia 15 de agosto, os Conselhos Universitários da USP, da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp) e da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) aprovaram uma moção de apoio à autonomia de gestão administrativa e financeira das universidades estaduais públicas paulistas.

A cerimônia foi realizada no dia 15 de agosto, no auditório do Centro de Difusão Internacional (CDI), no campus da USP em São Paulo. Foi presidida pelo reitor da Unicamp e presidente do Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp), Marcelo Knobel, e contou com a presença dos reitores da USP, Vahan Agopyan, e da Unesp, Sandro Roberto Valentini.

Esta foi a primeira vez na história que os três conselhos participaram de uma reunião conjunta, que contou com a presença de 195 conselheiros das três instituições. A moção foi aprovada por ampla maioria de 192 votos e três abstenções.

No documento, que deverá ser encaminhado ao governador João Doria, as instâncias das Universidades expressam a necessidade “de que sejam feitos ajustes de regulação para o seu melhor funcionamento, a fim de consolidar o que preconiza o Artigo 1º do decreto de 2 de fevereiro de 1989”.  O artigo indicado na moção estabelece que “os órgãos da administração centralizada do Estado adotarão procedimentos administrativos cabíveis para viabilizar a autonomia das universidades do Estado de São Paulo de acordo com os parâmetros deste Decreto até que a Constituinte Estadual promulgue a Nova Constituição do Estado e que a Assembleia Legislativa decrete a legislação referente ao Sistema de Ensino Superior Paulista”. Clique aqui e acesse a íntegra da moção.

A autonomia universitária foi instituída por meio do decreto nº 29.598, assinado pelo então governador Orestes Quércia. Desde então, USP, Unicamp e Unesp foram autorizadas a criar suas próprias normas de organização didático-científica, administrativa e, principalmente, de gestão financeira.

Universidades querem garantir direito de criar suas próprias normas de organização didático-científica, administrativa e financeira

Foto: Cecília Bastos/USP Imagem
A moção foi aprovada por ampla maioria dos votos dos conselheiros

A pauta da reunião também contou com os discursos dos representantes dos Conselhos das três universidades: pela USP, do diretor da Faculdade de Direito, Floriano Peixoto de Azevedo Marques Neto; pela Unicamp, do professor do Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica, João Frederico da Costa Azevedo Meyer; e, pela Unesp, do diretor do Instituto de Geociências e Ciências Exatas, José Alexandre de Jesus Perinotto; além do presidente da Associação de Docentes da Unicamp (Adunicamp) e representante do Fórum das Seis [entidade que congrega as entidades de classe das três Universidades], Wagner Romão.

(Da esq. p/ dir.) Os reitores da Unesp, Sandro Roberto Valentini; da Unicamp, Marcelo Knobel, e da USP, Vahan  Agopyan – Foto: Cecília Bastos/USP Imagens  

Veja támbém


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Adriana Cruz

LEIA tAMBÉM

Lula
Frei Betto | Para Lula, momento exige maior sintonia entre governo e movimentos sociais
Lula-RS-Brasil (2)
Nas mãos de Lula, caos no RS é sequela do bolsonarismo: desmonte ambiental e fake news
mães - palestina
Dia das Mães: algumas mães só querem a paz de presente, lembra ato pró-Palestina em Brasília
RS - inundações
Chamado à solidariedade internacionalista: inundação no RS demanda mobilização