Pesquisar
Pesquisar

Espanha: Partido direitista entra em crise com acusação interna de traição e corrupção

Partido Popular ordenou abertura de medida disciplinar contra a própria possível candidata à presidência, Isabel Díaz Ayuso, que acusa PP de espionagem
Armando G. Tejeda
La Jornada
Madri

Tradução:

O direitista Partido Popular (PP) explodiu em uma guerra sem quartel, entre acusações de traição, corrupção e espionagem quando a presidenta da Comunidade de Madri, Isabel Díaz Ayuso, considerada possível candidata à presidência do governo espanhol, acusou a cúpula do partido de tentar desacreditá-la atribuindo a ela atos de corrupção.

O PP ordenou abrir-lhe um expediente disciplinar que poderia terminar em sua expulsão do PP, apesar de que a política goza de uma altíssima popularidade que tem contribuído para que o partido conservador abra vantagem em relação ao governante Partido Socialista Obrero Espanhol em pesquisas de intenção de voto.

A origem da crise é um suposto contrato que concedeu à Comunidade de Madri, negociado por Díaz Ayuso, para comprar máscaras nos meses mais duros da pandemia a uma empresa especializada por um montante superior a um milhão e meio de euros. Supostamente, o intermediário e comissionista na transação foi o irmão da funcionária, Tomás Díaz Ayuso.

A presidenta madrilena afirmou que a direção de seu próprio partido, cujo presidente é Pablo Casado, pretende chantageá-la e expulsá-la da vida política após o triunfo incontestável que teve nas últimas eleições autonômicas de um ano atrás. Díaz Ayuso também acusou a diretoria do PP de haver tentado contratar uma empresa de detetives para obter informação sensível que servisse para destruí-la como figura pública.

Partido Popular ordenou abertura de medida disciplinar contra a própria possível candidata à presidência, Isabel Díaz Ayuso, que acusa PP de espionagem

Isabel Díaz Ayuso – Reprodução / Twitter
A presidenta madrilena afirmou que a direção de seu próprio partido pretende chantageá-la e expulsá-la da vida política

Investigação secreta

O secretário geral do PP, Teodoro Garcia Egea, negou que existisse uma investigação secreta contra a presidenta madrilenha, a quem acusou de empreender uma “campanha massiva de ataques, mentiras e calúnias” contra a direção do PP, pelo qual afirmou que o partido estuda possíveis ações legais contra Díaz Ayuso por suas imputações.

A funcionária conservadora disse que o contrato das máscaras é totalmente legal e verificado pelas autoridades competentes, ao afirmar que assegurou previamente a Casado, que nunca fez nenhum favor ilegal nem recebeu subornos.

A presidenta madrilenha asseverou que a direção de seu partido “tenta destruir-me”, ataca sua família “o mais sagrado que temos”, para “chantagear-me” e portanto exigiu medidas nas quais se assumisse algum tipo de responsabilidade. 

Por sua parte, García Egea da sede central do PP, não só reiterou as suspeitas contra Ayuso, mas as alimentou ao advertir que seria aberto um expediente disciplinar contra ela que poderia derivar em sua expulsão, se no final ficar concluído que durante sua gestão ela incorreu em algo tipo de corrupção.

É uma guerra aberta que fraturou o PP em duas frentes, os que apoiam a Casado, que são os menos, e os que defendem Díaz Ayuso, que são a imensa maioria dos militantes, simpatizantes e até líderes regionais do partido.

Armando G. Tejeda, correspondente do La Jornada em Madri
Tradução de Beatriz Cannabrava


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:

  • PIX CNPJ: 58.726.829/0001-56 

  • Cartão de crédito no Catarse: acesse aqui
  • Boletoacesse aqui
  • Assinatura pelo Paypalacesse aqui
  • Transferência bancária
    Nova Sociedade
    Banco Itaú
    Agência – 0713
    Conta Corrente – 24192-5
    CNPJ: 58726829/0001-56

       Por favor, enviar o comprovante para o e-mail: assinaturas@websul.org.br 


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Armando G. Tejeda Mestre em Jornalismo pela Jornalismo na Universidade Autónoma de Madrid, foi colaborador do jornal El País, na seção Economia e Sociedade. Atualmente é correspondente do La Jornada na Espanha e membro do conselho editorial da revista Babab.

LEIA tAMBÉM

Netanyahu
Pouco há para comemorar na decisão da Corte Penal Internacional contra Netanyahu
Nationale Sozialisten,Demonstration,Recht auf Zukunft,Leipzig,17
Conluio da extrema-direita realizado em Madri é só a ponta do iceberg
EUA-fentanil
A DEA, a ofensiva contra o México, o fentanil e os mortos por incúria
Wang-Wenbin-China
China qualifica apoio dos EUA a separatismo em Taiwan como “grave violação” e exige retratação