Pesquisar
Pesquisar

Especialistas: Diálogo entre governo e oposição encerra dúvidas sobre mandato de Maduro

México vai mediar encontro entre lideranças. A participação da oposição é importante porque ela já se recusara a fazê-lo em outros momentos
Redação Prensa Latina
Prensa Latina
Cidade do México

Tradução:

O México retomou seu papel histórico como mediador em conflitos, oferecendo-se para sediar uma reunião entre representantes do governo venezuelano e setores da oposição.

Os especialistas Nayar López, coordenador do Centro de Estudos Latino-Americanos da Universidade Nacional Autônoma, e Adalberto Santana, do Centro de Pesquisa para a América Latina e o Caribe, lembraram que o México se destacou no século passado como um lugar para a resolução de conflitos através da negociação.

Os dois especialistas destacaram a importância do diálogo previsto para o final desta semana, no qual o governo venezuelano procurará, acima de tudo, reconhecer finalmente a legitimidade e a legalidade com que Nicolás Maduro foi eleito.

É um ponto importante para o presidente constitucional venezuelano, disseram, levantar as restrições econômicas, comerciais e financeiras dos Estados Unidos, devolver a gestão de seus recursos ao exterior e deixar de reconhecer Juan Guaidó, autodenominado chefe de Estado.

López Castellanos disse que a participação da oposição no diálogo é importante porque ela já se recusara a fazê-lo em todos os momentos, e o fato de fazer parte deste ato reflete que ela passa a reconhecer Maduro.

Santana Hernández enfatizou que esta reunião permitirá uma maior estabilidade política na Venezuela e romperá, em certa medida, com o isolamento gerado pelos governos dentro e fora da região, que não reconheceram a legitimidade do presidente Maduro.

Em particular, disse ele, deveria quebrar o papel bastante beligerante e intervencionista desempenhado pela Organização dos Estados Americanos (OEA) com seu tão criticado e desacreditado secretário-geral, o uruguaio Luís Almagro.

Assista na Tv Diálogos do Sul

   

Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Prensa Latina

LEIA tAMBÉM

protestos-peru
Cleptocracia, ignarocracia, bufocracia: o declínio do substantivo "democracia" no Peru
Bolivia-guerra-hibrida-eua (1)
Guerra híbrida na Bolívia entra em nova fase e EUA querem "mudança de regime" até 2025
Petro-Colombia
Petro reage a ataques de guerrilheiros contrários ao acordo de paz: "Não toleraremos"
Milei
"Barbárie" e "desequilíbrio emocional": Petro e Fernández criticam nova selvageria de Milei