Pesquisar
Pesquisar

EUA destinaram mais de 5 milhões de dólares para financiar atos contra Cuba em 2020

O financiamento dedicado pelo National Endowment for Democracy (NED) à subversão contra revolução cubana beneficiou mais de 40 organizações
Redação Prensa Latina
Prensa Latina
Havana

Tradução:

O financiamento dedicado pelo National Endowment for Democracy (NED) à subversão contra Cuba beneficiou mais de 40 organizações, de acordo com os números mais recentes publicados pelo jornal Granma.

Desde seu início, esta organização tem funcionado como o braço econômico da política de interferência do governo americano, juntamente com a Agência para o Desenvolvimento Internacional (USAID), em benefício de organizações não governamentais (ONGs), rejeita a análise da publicação.

Em 2020, os valores enviados a essas entidades variaram de 20.000 a 650.000 dólares para fins que vão desde o treinamento de líderes, assistência a jornalistas e blogueiros, promoção da arte e denúncia de supostas violações dos direitos humanos.

“Segundo dados divulgados pelo NED, durante aquele ano foram investidos mais de cinco milhões de dólares para este fim, aos quais devem ser acrescentados os recursos contribuídos às ONGs e fundações que não aparecem no capítulo Cuba, mas que atuam contra a ilha”, especifica ele.

Cuba resiste a ameaças imperialistas dos EUA: entrevista de Ramonet sobre a situação da ilha

A isto devem ser adicionados os fundos canalizados através da USAID e outras organizações similares.

O financiamento dedicado pelo National Endowment for Democracy (NED) à subversão contra revolução cubana beneficiou mais de 40 organizações

prensa latina
Em 2020, os valores enviados a essas entidades variaram de 20.000 a 650.000 dólares

A organização chama Cuba, Nicarágua e Venezuela de “os regimes mais autoritários”, países que são abertamente atacados através da rede de fundações e ONGs da organização.

Ao mesmo tempo, estes países foram difamados pela mídia, também financiados através destas ou de organizações similares, o texto rejeita.

Rússia reage à OTAN e cogita construir bases militares em Cuba e Venezuela

Durante os anos da pandemia, 2020 e 2021, as administrações de Donald Trump e Joe Biden aprofundaram o bloqueio com novas medidas, lembra a análise.

Esta política impediu a entrada de medicamentos, respiradores, combustível e recursos econômicos para lidar com a crise causada pelo Covid-19 na maior ilha das Antilhas.

Neste contexto, também foram fomentados protestos para desestabilizar o governo na tentativa de dar o golpe final à ilha, uma nova tentativa fracassada que gerou agitação e sofrimento entre o povo cubano, mas não conseguiu quebrá-los.


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul

 

Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:

  • PIX CNPJ: 58.726.829/0001-56 

  • Cartão de crédito no Catarse: acesse aqui
  • Boletoacesse aqui
  • Assinatura pelo Paypalacesse aqui
  • Transferência bancária
    Nova Sociedade
    Banco Itaú
    Agência – 0713
    Conta Corrente – 24192-5
    CNPJ: 58726829/0001-56

       Por favor, enviar o comprovante para o e-mail: assinaturas@websul.org.br 


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.

Redação Prensa Latina

LEIA tAMBÉM

Peru
Congresso do Peru aprova lei que prescreve crimes de guerra e lesa humanidade
Gustavo-Petro-Colômbia
Colômbia: após ataques de guerrilha contrária aos diálogos de paz, Petro anuncia "ofensiva total"
Claudia-Sheinbaum-Mexico-eua
Mídia e think thanks dos EUA reclamam do excesso de democracia no México
Nayib Bukele
Projeto repressivo de Bukele ignora raízes da criminalidade e gera ilusão de segurança