Pesquisar
Pesquisar

‘Exigir exame de delito é violentar a mulher duas vezes’

Revista Diálogos do Sul

Tradução:

mulher-nao-se-caleA possibilidade de que o exame de corpo de delito passe a ser exigido para as vítimas de estupro, como consta no projeto 5069/2013 de autoria do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), é considerada pela deputada Maria do Rosário (PT-RS) uma maneira de ‘violentar a mulher duas vezes’.

“Salvamos a vida de milhares de mulheres quando elas entram no serviço de saúde e, antes de cuidarem da parte criminal, são atendidas. Não há motivo para torcida nem risos. Há motivo para um debate sério. Os que propõe esse texto da lei impedirão que uma mulher vítima de estupro receba atendimento devido para que não engravide. Essa mulher ou menina muitas vezes vai ver diante de si, posteriormente, o aborto como uma perspectiva. Chega de ser vítima, de ser julgada, das mulheres e meninas pagarem em seus corpos a culpa das religiões e de outras gerações”, comenta a deputada.

Acesse a íntegra no Portal Compromisso e Atitude: Maria do Rosário: ‘Exigir exame de delito é violentar a mulher duas vezes’ (Brasil Post, 01/10/2015)


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Revista Diálogos do Sul

LEIA tAMBÉM

Milei
"Barbárie" e "desequilíbrio emocional": Petro e Fernández criticam nova selvageria de Milei
José Raúl Mulino
Eleição no Panamá simboliza crise sistêmica que atinge democracia "representativa"
Vox-Abascal-Milei
Xenofobia e delírios ultradireitistas: Vox reúne asseclas em Madri
Xi Jinping - Putin
Encontro de Xi e Putin fortalece relação histórica e aliança contra ofensiva “dupla” dos EUA