Pesquisar
Pesquisar

Famoso egiptólogo Zahi Hawass prepara enciclopédia sobre as pirâmides em árabe

As semanas de relativo sossego permitiram a ele também terminar sua biografia, síntese de uma excitante carreira enraizada no passado do país dos Faraós
Adalys Pilar Mireles
Prensa Latina
Cairo

Tradução:

O famoso egiptólogo Zahi Hawass confirmou que continua trabalhando na elaboração de uma enciclopédia sobre as pirâmides, em árabe, obra considerado pelo estudioso como um dos seus mais importantes projetos. 

Resolvi fazer essa compilação devido à falta de informação e de referências para as descobertas, uma vez que a maioria dos textos sobre o tema foram escritos em outras línguas, comentou o pesquisador em seu perfil do facebook.

Acostumado a difíceis e agitadas explorações no deserto, Hawass aproveitou a quarentena imposta pela Covid-19 para dedicar-se à redação de oito volumes sobre essas construções, símbolos do Egito.

Sem abandonar seu sonho de encontrar as tumbas ou pelo menos rastros de célebres personagens como a rainha Nefertiti, o reconhecido arqueólogo permaneceu em sua casa à espera do reinício das missões de exploração.

Então decidiu alinhavar dados e vivências sobre esses monumentos edificados há milênios e que continuam cativando até agora, declarou à Prensa Latina

As semanas de relativo sossego permitiram a ele também terminar sua biografia, síntese de uma excitante carreira enraizada no passado do país dos Faraós

YouTube / Reprodução
As semanas de relativo sossego permitiram a ele também terminar sua biografia que será lançada dentro em breve

Operários e a pirâmide de Queóps

Foi precisamente Hawass quem localizou as sepulturas dos operários que levantaram a grande pirâmide de Quéops – única maravilha da antiguidade que sobrevive – descoberta com a qual descartou teorias sobre sua construção por alienígenas.

Já terminei as três primeiras partes da enciclopédia, agora estou concentrados nas restantes, declarou o explorador cujo nome aparece como diretor, promotor ou assessor nas principais descobertas dos últimos 30 anos.

Biografia e Tutancâmon

As semanas de relativo sossego permitiram a ele também terminar sua biografia, síntese de uma excitante carreira enraizada no passado que ele assume com um estilo próprio e com o seu carisma, à qual agrega um atrativo traje inspirado no icônico aventureiro Indiana Jones.

Já está nas mãos da editora para sua impressão, sairá logo, adiantou Hawass que não esconde sua obsessão pela história ainda incompleta do faraó Tutancâmon, falecido de maneira súbita e com pouca idade. 

A essas pesquisas tem dedicado também algumas horas de sua peculiar quarentena. 

“Como outras epidemias que castigaram nossa nação desde a época dos faraós, a atual criada pelo vírus Sars Cov-2 também passará, mas não devemos nos descuidar”, asseverou. 

Ao se referir às pragas que açoitaram os homens e mulheres do Antigo Egito, explicou que a primeira prova sobre suas sequelas está ligada à cidade de Tel El-Amarna onde houve um brote de malária que causou a morte em torno de 70% dos habitantes do lugar. 

Disse também que algumas hipóteses consideram que esse acontecimento foi a causa da morte inesperada de Tutancâmon.

Adalys Pilar Mireles, correspondente de Prensa Latina na cidade do Cairo (Egito)

Prensa Latina, especial para Diálogos do Sul — Direitos reservados.

Tradução: Beatriz Cannabrava /Ana Corbusier


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Veja também


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Adalys Pilar Mireles

LEIA tAMBÉM

vintage-historic-photos-of-the-battle-of-berlin-1945-bw-10
A batalha de Berlim e a rendição nazista: entrevista com um combatente
Paris
Da Porte de la Villette à Bastille: uma jornada pela cultura e modernidade de Paris
Questão-racial-Brasil (1)
Lima Barreto, 13 de maio e a questão racial no Brasil
ASTROJILDOPEREIRA-MGLIMA-2023-OK
O marxismo de Astrojildo Pereira, fundador do Partido Comunista do Brasil (PCB)