Pesquisar
Pesquisar

Governo Biden anula decretos de Trump sobre Venezuela e avalia aproximação com o país

Governo dos Estados Unidos autorizou transações com portos e aeroportos venezuelanos mediante certas regras específicas que estavam totalmente proibidas
Victor Farinelli
Revista Fórum
São Paulo (SP)

Tradução:

O governo dos Estados Unidos autorizou nesta terça-feira (2) a realização de transações através de portos e aeroportos da Venezuela, a partir de uma nova regulamentação a respeito do comércio com o país sul-americano.

A medida do Departamento do Tesouro cria a “licença 30A”, que autoriza as operações portuárias e aeroportuárias com a Venezuela, que estavam proibidas desde agosto de 2019, por decreto do governo de Donald Trump.

Essa nova licença, no entanto, não serve para atividades relacionadas à exportação de diluentes, produto essencial para a Venezuela processar seu petróleo pesado. Também foram mantidas as restrições a qualquer transação com pessoas ou entidades sujeitas a sanções pelo governo dos Estados Unidos.

Governo dos Estados Unidos autorizou transações com portos e aeroportos venezuelanos mediante certas regras específicas que estavam totalmente proibidas

Reprodução
Joe Biden e Nicolás Maduro.

De qualquer forma, se trata da primeira medida do presidente Joe Biden para com a Venezuela, e parece sinalizar com algo positivo, se não com uma aproximação, ao menos com uma tentativa de estabelecer uma relação com o governo de Nicolás Maduro em parâmetros menos hostis que o promovido por seu antecessor.

Outro indício que pode dar a entender essa intenção da Casa Branca é o fato de que, em seus primeiros 13 dias de governo, Biden não fez sequer o mais mínimo gesto de reconhecimento a Juan Guaidó, figura central da estratégia de Trump para derrubar Maduro do poder, reconhecendo um governo paralelo, apesar de este nunca ter mostrado força política dentro do país. Porém, ainda é cedo para dizer que Guaidó não será útil ao atual governo estadunidense em um segundo ou terceiro momento.
Vale lembrar que o governo de Nicolás Maduro também decidiu romper relação com Washington, desde 2019. Contudo, o presidente venezuelano já declarou em algumas entrevistas estar disposto a dialogar com Biden, se houver reciprocidade do estadunidense nesse sentido. A última vez que disse isso foi na entrevista exclusiva ao Opera Mundi, com jornalista Breno Altman.

As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Veja também

   

Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Victor Farinelli

LEIA tAMBÉM

protestos-peru
Cleptocracia, ignarocracia, bufocracia: o declínio do substantivo "democracia" no Peru
Bolivia-guerra-hibrida-eua (1)
Guerra híbrida na Bolívia entra em nova fase e EUA querem "mudança de regime" até 2025
Petro-Colombia
Petro reage a ataques de guerrilheiros contrários ao acordo de paz: "Não toleraremos"
Milei
"Barbárie" e "desequilíbrio emocional": Petro e Fernández criticam nova selvageria de Milei