Pesquisar
Pesquisar

Governo Lula dá fim ao PPI! Petrobras anuncia novo modelo de preço para os combustíveis

Serão consideradas "a otimização dos nossos ativos de refino e a rentabilidade de maneira sustentável", disse a empresa em comunicado
Redação Brasil de Fato

Tradução:

A Petrobras confirmou nesta terça-feira (16) a mudança na política de preços de combustíveis praticados nas refinarias, colocando fim na paridade com o mercado internacional, adotada pelo governo golpista de Michel Temer (MDB) e reforçada no mandato de Jair Bolsonaro (PL), que fez o Brasil ter um dos combustíveis mais caros do mundo enquanto pagava dividendos astronômicos a acionistas.

Continua após o banner

A partir de agora, a empresa deixa de se colocar obrigatoriamente alinhada aos preços praticados no exterior (e que tinham forte influência do câmbio, por exemplo), e vai considerar a participação da Petrobras em cada mercado e região onde a empresa atua. Além disso, serão consideradas “a otimização dos nossos ativos de refino e a rentabilidade de maneira sustentável”, disse a empresa em comunicado.

“Com essa estratégia comercial, a Petrobras vai ser mais eficiente e competitiva, atuando com mais flexibilidade para disputar mercados com seus concorrentes. Vamos continuar seguindo as referências de mercado, sem abdicar das vantagens competitivas de ser uma empresa com grande capacidade de produção e estrutura de escoamento e transporte em todo o país”, disse o presidente da estatal, Jean Paul Prates.

Leia também: FUP: Fim do PPI é crucial para reduzir preço dos combustíveis; taxação não é a raiz do problema

A Petrobras garante que a nova política de preços vai garantir a realização dos investimentos previstos no Planejamento Estratégico da companhia, ao mesmo tempo em que permite maior previsibilidade nos preços praticados, já que a empresa não estará sujeita a variações súbitas de preços em mercados no exterior. Os reajustes nos preços não terão periodicidade definida.

O comunicado destacou que a estratégia anunciada nesta terça está alinhada com a Diretriz de Formação de Preços no Mercado Interno, aprovada pelo Conselho de Administração em 27 de julho de 2022.

Redação | Brasil de Fato
Edição: Rodrigo Durão Coelho


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Brasil de Fato

LEIA tAMBÉM

Lula
Frei Betto | Para Lula, momento exige maior sintonia entre governo e movimentos sociais
Lula-RS-Brasil (2)
Nas mãos de Lula, caos no RS é sequela do bolsonarismo: desmonte ambiental e fake news
mães - palestina
Dia das Mães: algumas mães só querem a paz de presente, lembra ato pró-Palestina em Brasília
RS - inundações
Chamado à solidariedade internacionalista: inundação no RS demanda mobilização