Pesquisar
Pesquisar

Grande mídia ignora protestos na França contra Otan e envio de armas à Ucrânia

País presidido por Emmanuel Macron França tem estado entre os principais apoiadores do regime de Kiev no conflito em curso com a Rússia
Redação Russia Today
Russia Today
São Paulo (SP)

Tradução:

Vários protestos em massa contra a adesão da França à OTAN e seu contínuo apoio ao regime nazi de Kiev foram realizados neste domingo (26) na capital Paris e em outros locais em todo o país. As manifestações ocorreram pelo segundo fim de semana consecutivo e a maior delas foi em Paris. 

Diferente da Itália, que já atraiu forças de esquerda para as manifestações anti-OTAN, na França essas correntes parecem ainda não terem percebido o caráter imperialista e pró-nazista da OTAN e sua guerra contra a Rússia.

Assista na TV Diálogos do Sul

“Vamos sair da OTAN e da UE, organizações de guerra!”, diziam as faixas na manifestação. “Nova manifestação contra o subsídio da guerra na Ucrânia a saída da OTAN!”, defendiam os participantes do protesto. “A mídia continua a nos ignorar, mas a resistência está aumentando na França”, bradavam os manifestantes.

Tradução: As bandeiras da UE e da OTAN foram hoje rasgadas na Marcha Nacional pela Paz! O símbolo da nossa libertação! Vamos sair da OTAN e da UE, organizações de guerra!

Os organizadores do ato, apelidado de Marcha Nacional pela Paz, afirmaram que o ato deste domingo (26) atraiu ainda mais participantes do que na semana passada, quando cerca de 10.000 compareceram a um comício na capital francesa. Protestos anti-OTAN também foram realizados em cerca de 30 outros locais em toda a França.

Tradução: Nova manifestação contra o subsídio da guerra na Ucrânia a saída da OTAN! “A mídia continua a nos ignorar, mas a resistência está aumentando na França”

Os manifestantes marcharam pelas ruas de Paris, carregando uma grande faixa que dizia “Pela Paz”. Eles pediram a retirada da França da OTAN, liderada pelos EUA, e da UE, e pediram também a suspensão do fornecimento de armas à Ucrânia.

O ato também condenou o atual presidente francês, Emmanuel Macron, gritando “Macron saia!” – um slogan comumente usado por vários manifestantes anti-governo ao longo de sua presidência.

A França tem estado entre os principais apoiadores do regime de Kiev no conflito em curso com a Rússia, que eclodiu há um ano. Enquanto Macron fingia pedir uma solução diplomática para as hostilidades, Paris forneceu ativamente armamento variado para a Ucrânia, incluindo veículos blindados e obuses autopropulsados avançados.

Redação | Russia Today
Tradução: Hora do Povo


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.

Redação Russia Today

LEIA tAMBÉM

eua-louisiana-2
"Querem impor uma teocracia", alerta deputado dos EUA sobre "10 mandamentos" em Louisiana
Joe Biden
Nova medida de Biden para regularizar indocumentados é positiva, mas insuficiente, diz especialista
Vladimir Herzog
Amyra El Khalili: história de Vladimir Herzog se repete há 76 anos na Palestina Ocupada
Lin Jian - China
China expõe contradições da UE sobre Direitos Humanos e critica interferências