Pesquisar
Pesquisar

Há 175 anos, EUA tomavam mais da metade do território do México

Tratado de Guadalupe Hidalgo foi assinado para encerrar guerra iniciada em 1846 pelos estadunidenses contra os mexicanos
Redação Telesur
Telesur
Caracas

Tradução:

* Atualizado em 26/05/2023 às 11h48.

Em 30 de maio de 1848, foi ratificado o acordo com o qual o México cedeu aos Estados Unidos mais da metade de seu território. Conhecido como Tratado de Guadalupe Hidalgo, a declaração foi assinada em 2 de fevereiro do mesmo ano e encerrou a guerra iniciada em 1846 pelo presidente estadunidense James Knox Polk.

Mediante esse documento, o México perdeu o território que na atualidade compreende os atuais estados de Califórnia, Nevada, Utah, Novo México, Texas, Colorado, parte do Arizona, Wyoming, Kansas e Oklahoma.

Primeira incursão militar dos EUA, guerra contra o México teve viés racista e escravocrata

O texto, formalmente chamado de Tratado de Paz, Amizade, Limites e Assentamento Definitivo entre os Estados Unidos Mexicanos e os Estados Unidos da América, foi firmado na Vila de Guadalupe Hidalgo, ao norte da Cidade do México.


Início do imperialismo norte americano

O imperialismo norte-americano nasce em 1846, através de uma guerra contra o México, absolutamente desigual no que diz respeito a equipamentos.

Os EUA eram uma potência industrial com 20 milhões de habitantes e um alto desenvolvimento tecnológico, com o qual dotou suas tropas de grande quantidade de armamento moderno, enquanto o México era uma país debilitado, com um imenso território e apenas sete milhões de habitantes.

Tratado de Guadalupe Hidalgo foi assinado para encerrar guerra iniciada em 1846 pelos estadunidenses contra os mexicanos

Arquivo | Diálogos do Sul
O imperialismo norte-americano nasce em 1846, através de uma guerra contra o México




Guerra de intervenção norte-americana

Foi assim que, em janeiro de 1846, o presidente Polk autorizou que o general Zacarias Taylor avançasse com suas tropas em direção ao rio Bravo, em território mexicano. Depois de vários enfrentamentos com soldados do exército mexicano, os EUA declararam guerra, em março de 1846.

Em uma luta desigual, os soldados estadunidenses tomaram o porto de Veracruz, em abril de 1847, confiscaram as alfândegas e, finalmente, em setembro do mesmo ano, se apoderaram da capital mexicana.

EUA e extrema-direita cubana se unem contra governo de López Obrador, no México; entenda

Em janeiro de 1848, as partes iniciaram negociações para chegar a um acordo de paz, o que culminou na criação do chamado Tratado de Paz, Amizade, Limites e Assentamento Definitivo entre os Estados Unidos Mexicanos e os Estados Unidos da América.

O tratado foi firmado na sacristia da Basílica de Guadalupe, “A Vila”, e foi assinado pelos políticos conservadores Bernardo Couto, Miguel Atristán e Luis G. Cuevas, representantes do México, e por Nicholas P. Trist, negociador estadunidense. Assim, o México perdeu mais de 2,5 milhões de km².

O tratado de Guadalupe Hidalgo estabeleceu a linha fronteiriça entre ambos os países, a partir do Rio Grande e Rio Bravo, e a perda dos territórios compreendidos nos novos limites, que seriam pagos à República mexicana pela quantia de 15 milhões de pesos.

Logo após a assinatura do tratado, o mexicano Cuoto disse ao estadunidense Trist: “Este deve ser um momento de orgulho para vocês, mas para nós é humilhante”. Trist respondeu: “Estamos fazendo a paz, que esse seja nosso único pensamento”.

Valentín Gómez Farías, que foi várias vezes presidente do México, em uma mensagem escrita a seus filhos, sentenciou: “A venda infame de nossos irmãos já está consumada, nosso governo, nossos representantes, nos cobriram de vergonha e humilhação”.

Redação teleSURtv
Tradução de Guilherme Ribeiro


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:

  • PIX CNPJ: 58.726.829/0001-56 

  • Cartão de crédito no Catarse: acesse aqui
  • Boletoacesse aqui
  • Assinatura pelo Paypalacesse aqui
  • Transferência bancária
    Nova Sociedade
    Banco Itaú
    Agência – 0713
    Conta Corrente – 24192-5
    CNPJ: 58726829/0001-56

       Por favor, enviar o comprovante para o e-mail: assinaturas@websul.org.br 


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Telesur

LEIA tAMBÉM

Javier_Milei
Milei bloqueia 5 mil ton de comida, deixa mais pobres com fome e inflama revolta na Argentina
Héctor Llaitul
Sem provas, justiça do Chile condenou líder mapuche Héctor Llaitul em prol de madeireiras
protestos-peru
Cleptocracia, ignarocracia, bufocracia: o declínio do substantivo "democracia" no Peru
Bolivia-guerra-hibrida-eua (1)
Guerra híbrida na Bolívia entra em nova fase e EUA querem "mudança de regime" até 2025