Pesquisar
Pesquisar

Jazida de nióbio e de terras raras descoberta no nordeste da Sibéria é considerada terceira maior reserva do mundo

O nióbio é utilizado em ligas, principalmente no aço, enquanto as terras raras são necessárias para produzir qualquer artigo moderno de alta tecnologia
Redação Prensa Latina
Prensa Latina
Moscou

Tradução:

Uma jazida de nióbio e de terras raras descoberta no nordeste da Sibéria é considerada a terceira maior reserva do mundo, informou hoje a mineradora Polymetal.

 A jazida – que se encontra em Tomtor, localidade formada por várias pequenas aldeias na República de Sajá -, já foi avaliada, sendo confirmados sua escala e rico conteúdo.

Em breve começará o estudo de factibilidade de um projeto, estando prevista para 2025 a construção de uma fábrica capaz de produzir 160 mil toneladas, adiantou a fonte citada por Russia Today.

O nióbio é utilizado em ligas, principalmente no aço, que é reforçado acrescentando-se-lhe uma pequena porção deste elemento; mas também pode ser utilizado na joalheria, ótica, eletrônica e no setor nuclear, segundo os especialistas.

As terras raras são necessárias para produzir qualquer artigo moderno de alta tecnologia, incluindo telefones inteligentes, computadores, chips e até fuselagens de aviões de combate.

O nióbio é utilizado em ligas, principalmente no aço, enquanto as terras raras são necessárias para produzir qualquer artigo moderno de alta tecnologia

Sputnik
A jazida, que se encontra em Tomtor, já foi avaliada, sendo confirmados sua escala e rico conteúdo.

Para muitos o termo terras raras é desconhecido, mas trata-se do nome comum de 17 elementos químicos: escândio, ítrio e os 15 elementos do grupo dos lantânidos (lântano, cério, praseodímio, neodímio, prometio, samário, európio, gadolínio, térbio, disprósio, hólmio, érbio, túlio, itérbio e lutécio).

É preciso dizer – segundo os especialistas – que nesta classificação não está sendo considerada a série dos actínidos.

Ainda que o nome terras raras possa levar à conclusão de que se trata de elementos escassos na crosta terrestre, alguns deles, como o cério, o ítrio e o neodímio são mais abundantes.

De acordo com a literatura consultada, são chamadas “raras” devido a que é muito pouco comum encontrá-los em forma pura, embora haja depósitos de alguns deles em todo o mundo.

Tradução de Ana Corbisier


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na Tv Diálogos do Sul

 

   

Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Prensa Latina

LEIA tAMBÉM

Netanyahu
Pouco há para comemorar na decisão da Corte Penal Internacional contra Netanyahu
Nationale Sozialisten,Demonstration,Recht auf Zukunft,Leipzig,17
Conluio da extrema-direita realizado em Madri é só a ponta do iceberg
EUA-fentanil
A DEA, a ofensiva contra o México, o fentanil e os mortos por incúria
Wang-Wenbin-China
China qualifica apoio dos EUA a separatismo em Taiwan como “grave violação” e exige retratação