Pesquisar
Pesquisar

Jornalistas debatem o impacto do fim do direito ao aborto nos EUA para América Latina

Questão é abordada no programa Diálogos Latinos desta quarta-feira (29), às 18h, na TV Diálogos do Sul, no YouTube
George Ricardo Guariento
Diálogos do Sul
Taboão da Serra

Tradução:

A Suprema Corte dos Estados Unidos, de supermaioria conservadora, derrubou nesta sexta-feira (24), por seis votos a três, o direito ao aborto legal no país, revertendo a histórica decisão Roe contra Wade, de 1973. Com o veredicto, cujo esboço havia vazado em maio deste ano, o aborto será banido ou significativamente limitado em ao menos 21 dos 50 estados americanos, com impactos que serão piores para as mulheres pobres e pertencentes a minorias.

A decisão põe fim à garantia federal do direito ao aborto até que haja viabilidade fetal — ou seja, até que o feto possa sobreviver fora do útero, o que ocorre entre a 22ª e a 24ª semana de gestação. 

Isso não significa que o aborto está proibido nos EUA, mas sim que ele deixa de ser considerado protegido constitucionalmente e que cabe a cada estado legislar sobre sua legalidade. Estados controlados por republicanos tendem a seguir a opinião do tribunal máximo do país.

Questão é abordada no programa Diálogos Latinos desta quarta-feira (29), às 18h, na TV Diálogos do Sul, no YouTube

Charles Edward Miller
Fim da proteção ao aborto nos EUA, vigente há 49 anos, é sequela do governo Trump

Para entender melhor o impacto da derrubada do direito ao aborto legal nos EUA para a América Larina, a jornalista Vanessa Martina Silva conversa com a jornalista Andréa Rosendo, doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Integração da América Latina (Prolam/USP) e a Doutoranda pelo Prolam/USP Ana Galvão.

Você confere essa conversa no programa Diálogos Latinos desta quarta-feira (29), às 18h, na TV Diálogos do Sul e parceiros, no YouTube:


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:

  • PIX CNPJ: 58.726.829/0001-56 

  • Cartão de crédito no Catarse: acesse aqui
  • Boletoacesse aqui
  • Assinatura pelo Paypalacesse aqui
  • Transferência bancária
    Nova Sociedade
    Banco Itaú
    Agência – 0713
    Conta Corrente – 24192-5
    CNPJ: 58726829/0001-56

       Por favor, enviar o comprovante para o e-mail: assinaturas@websul.org.br 



As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
George Ricardo Guariento Graduado em jornalismo com especialização em locução radiofônica e experiência na gestão de redes sociais para a revista Diálogos do Sul. Apresentador do Podcast Conexão Geek, apaixonado por contar histórias e conectar com o público através do mundo da cultura pop e tecnologia.

LEIA tAMBÉM

protestos-peru
Cleptocracia, ignarocracia, bufocracia: o declínio do substantivo "democracia" no Peru
Bolivia-guerra-hibrida-eua (1)
Guerra híbrida na Bolívia entra em nova fase e EUA querem "mudança de regime" até 2025
Petro-Colombia
Petro reage a ataques de guerrilheiros contrários ao acordo de paz: "Não toleraremos"
Milei
"Barbárie" e "desequilíbrio emocional": Petro e Fernández criticam nova selvageria de Milei