Pesquisar
Pesquisar

Kiev faz ataque com drones em Moscou para tentar matar Putin, afirma o Kremlin

O presidente russo Vladimir Putin não estava no local do episódio e não sofreu quaisquer ferimentos
Redação Sputnik Brasil
Sputnik Brasil
Moscou

Tradução:

O serviço de imprensa relatou que na madrugada desta quarta-feira (3) o regime de Kiev realizou uma tentativa de atacar a residência do Kremlin do presidente russo Vladimir Putin usando dois drones.

“Na sequência deste ato terrorista o presidente da Federação da Rússia não foi ferido. O horário de seu trabalho não sofreu alterações, continua de modo normal”, aponta o comunicado.

Dois veículos aéreos não tripulados tinham Kremlin como alvo. Como resultado das ações tomadas atempadamente pelos serviços militares e especiais [russos], como uso de um sistema de radar, os aparelhos [drones] foram desativados“, explica o comunicado.

“A queda [dos drones] e a dispersão de fragmentos no território do Kremlin não ocasionaram vítimas nem danos materiais”, acrescenta o serviço de imprensa do Kremlin.

O porta-voz do presidente russo Dmitry Peskov disse à Sputnik que, no momento da tentativa do ataque dos drones ucranianos, o presidente russo não estava no Kremlin.

Ele informou também que são mantidos os planos para realizar a Parada Militar de 9 de Maio na Praça Vermelha, em Moscou.

Continua após o banner

Por sua vez, o prefeito de Moscou, Sergei Sobyanin, declarou que a partir desta quarta-feira (3) em Moscou está proibido o lançamento de veículos aéreos não tripulados, não se enquadrando nesta proibição os drones usados por decisão das autoridades estatais.

O assessor do chefe do gabinete do presidente ucraniano, Mikhail Podolyak, afirma que Kiev não tem nada a ver com ataque de drones ao Kremlin, relata a AFP. O porta-voz de Zelensky, Sergei Nikiforov, também negou o envolvimento da Ucrânia no ataque.

Redação | Sputnik Brasil


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Sputnik Brasil

LEIA tAMBÉM

Paris
Da Porte de la Villette à Bastille: uma jornada pela cultura e modernidade de Paris
Prancheta 55
Reino Unido decide expulsar mais de 50 mil pessoas solicitantes de asilo para Ruanda
Palestina-EUA-Israel
EUA tentam se safar! Israel usa, sim, armas estadunidenses para matar palestinos em Gaza
Bandeira-Geórgia
Geórgia: lei sobre “agentes estrangeiros” aumenta tensão entre governo e oposição